WWE acusada de "subornar" instituto de pesquisas cerebrais

Dois grandes nomes são ditos quando falamos sobre pesquisas sobre ancefalopatia crônica traumática (CTE) e seus feitos sobre o cérebro devido a colisões e lesões no esporte. Um deles é o Dr. Bennet Omalu, o homem cuja sua história foi contada no filme Concussion, estrelado por Will Smith. O segundo é Chris Nowinski, o ex-lutador da WWE que foi forçado a se aposentar devido a problemas relacionados com concussão. Nowinski fundou a Concussion Legacy Foundation logo após sair da WWE.

Em uma história recente publicada pelo Boston Globe, parece que Chris Nowinski foi acusado de fazer vista grossa à WWE nos últimos anos. A razão para a acusação vem devido ao fato de que a WWE doou US$ 2,7 milhões para a Concussion Legacy Foundation desde 2013, e durante esse tempo, não houve lutadores profissionais examinados pelo grupo de Nowinski.

De acordo com o repórter Bob Hohler do Boston Globe, esta não é a primeira vez que ele demonstra interesse em histórias deste tipo quando se trata de Chris Nowinski em relação ao CTE e sua causa e efeito. Hohler apontou que a primeira suspeita veio com os sensores de impacto instalados nos capacetes de futebol americano que acabou por ser um empreendimento lucrativo para Chris e a Legacy Concussion Foundation, que supostamente é uma organização sem fins lucrativos. Outra razão que levantou suspeitas foi o fato de que o co-fundador da Concussion Legacy Foundation, Dr. Robert Cantu ter relações com grupos de vários esportes.

De acordo com o Sports Illustrated, Chris Nowinski foi a primeira pessoa a tocar no cérebro de Chris Benoit. A ex-estrela da WWE que matou sua esposa, Nancy, e seu filho, antes de tirar a sua própria vida. Foi dito que o cérebro de Chris Benoit estava pior do que de um paciente de Alzheimer enquanto ele ainda estava lutando ativamente na WWE até à sua morte. Hohler mencionou que depois de Chris Benoit, Nowinski ficou em silêncio na WWE.

Hohler mencionou pessoas que faleceram e suas famílias doaram seus corpos para Chris investigar, descobrindo que havia 43 pessoas  que morreram devido a sintomas relacionados com a CTE desde 2013 e que Nowinski recebeu os direitos para investigar essas mortes. Nenhuma dessas 43 pessoas eram lutadores da WWE.

O Boston Globe ofereceu espaço para Chris Nowinski falar sobre o assunto, mas eles disseram que ele não esteve próximo a WWE durante um número de dias. Chris disse que ele não quer mais fazer isso e, em vez disso, Nowinski está coletando promessas de lutadores da WWE para doar seus cérebros depois que morrerem.

O Boston Globe acredita por essa razão nenhum dos ex-lutadores profissionais que morreram recentemente não haviam se comprometido a doar seus cérebros para Nowinski.