WWE melhora o seu desempenho econômico no terceiro quadrimestre do ano

A empresa norte-americana World Wrestling Entertainment (WWE) revelu ao público seus dados econômicos nesa manhã. Durante o terceiro trimestre do ano (que terminou no dia 30 de setembro), o lucro líquido de US$ 11,1 milhões de dólares, um valor ligeiramente superior ao assinalado no mesmo trimestre do ano passado (US$ 10,4 milhões de dólares). Com esses dados, as receitas totais em 2016 de 2016 (até o fim do terceiro quarto) são de US$ 534,3 milhões de dólares. Estes ganhos podem ser divididos nas seguintes áreas:

  • WWE Network: A plataforma online da família McMahon conta com 1,44 milhões de assinantes no mundo inteiro, dos quais 1,07 milhões vivem na América do Norte. Essas assinaturas geraram uma receita de US$ 45,1 milhões de dólares. A WWE Network, que já se situa no segundo posto, ficando somente atrás do Netflix em relação a plataformas de distribuição de conteúdos online, irá adicionar um total de 300 horas de conteúdo original e 2.500 horas de material sob demanda antes do final do ano.

  • Televisão: As receitas de transmissão de conteúdo na televisão (US$ 56,3 milhões de dólares) apresentaram uma queda de 14% em comparação com o terceiro trimestre do ano passado. Esta queda, no entanto, ocorreu porque, ao contrário deste ano, em 2015 foram transmitidos o WWE Tough Enough e o WWE Total Divas.

  • WWE Studios: A maior surpresa deste trimestre foram os benefícios da produtora de filmes da empresa. As receitas de filmes neste trimestre foram de US$ 2,5 milhões de dólares. Entre os files destacam o último filme do Scooby Doo! e o Interrogation. No ano passado, a WWE Studios sofre um perde de US$ 1,3 milhões de dólares, um dado muito negativo em comparação com os 900.000 dólares de benefícios deste último trimestre.

  • Eventos ao vivo: A realização de eventos ao vivo (82 sem contar com os shows do NXT) geraram uma receita de US$ 28,6 milhões de dólares neste terceiro trimestre, um aumento de 10% em comparação com o mesmo período do ano passado. A presença de público por evento nos Estados Unidos aumentaram em 4% (5.300 espectadores) e o preço médio dos ingressos também (US$ 50,51 dólares). Em relação ao cenário internacional, tanto a média de público (8.200 pessoas), o preço dos ingressos (US$ 72,13 dólares) caíram em 8% e 15%, respectivamente.

Diego Ceratti: Também com o cargo de administrador, é responsável por boa parte do conteúdo que se encontra aqui, tanto em notícias, coberturas, além de fazer parte do pessoal que cuida do HOW Apostas, um dos principais espaços do site. - Facebook