Preview: NJPW WrestleKingdom XI in Tokyo Dome - Parte 1

Já é tradição aqui na House of Wrestling ter a previsão para o WrestleKingdom, o maior show do ano da New Japan Pro-Wrestling. Assim como nos anos anteriores, o pessoal do Fórum de Pro-Wrestling (mais precisamente o Renato) vai contribuir para que isso aconteça.

Entretanto, este ano não ficaremos só nos textos e eu, em parceria com alguns parceiros, farei uma edição do HOWCast comentando sobre o show e o que esperamos para a New Japan em próximos meses. Isso vai sair em poucos dias, aguardem.

Mas voltando a previsão do Renato, dessa vez ela será dividida em partes para conter todos os combates do evento e nesta primeira iremos dar uma olhada no undercard. É com você Renato!

New Japan Rumble
Para quem não sabe, a New Japan Rumble segue o mesmo formato do combate Royal Rumble da WWE, com entradas cronometradas e eliminações por cima das cordas. Esta é a terceira edição: Yuji Nagata venceu no Wrestle Kingdom 9, acabando depois por usar essa vitória como pretexto para uma oportunidade pelo Intercontinental Championship, e no Wrestle Kingdom 10 Jado venceu... e não vale a pena falarmos muito mais sobre esse momento.

Teremos um misto de membros do roster regular que não têm outro espaço neste card e algumas lendas de regresso por uma noite. Nada que valha exatamente a pena acordar uma hora mais cedo para ver, se for o caso. Pela natureza deste combate, não sou capaz de dar uma aposta concreta para a vitória, mas há alguém cuja eventual presença neste combate pode ser sinal de uma vitória: Michael Elgin. Foi dos um dos homens que maior push teve ao longo deste ano, conquistando o Intercontinental Championship no Dominion, que deteve por mais de três meses, tendo-se lesionado no mês de Outubro e desde aí está ausente na NJPW. No entanto, nas últimas semanas fez alguns shows em Indies, por isso estando ok para combater, é estranho que não lhe tenha sido dado um lugar neste card. Caso venha a ser um dos participantes surpresa deste combate, acho que faz sentido dar-lhe uma vitória.

Tiger Mask W vs. Tiger The Dark
Como forma de promoção da série de animação com o mesmo nome, "Tiger Mask W" ganhou vida no King of Pro-Wrestling em outubro e volta agora aos ringues. Tiger Mask W vs. Tiger The Dark pode não vos dizer grande coisa, mas e se disser que teremos Kota Ibushi vs. ACH em pleno Wrestle Kingdom? Melhor, não é?

Kota Ibushi deve ser das personalidades mais "estranhas" do mundo do Wrestling, como foi dando para perceber ao longo deste ano. Para alguém com o talento de Ibushi, oportunidades não faltam, e hoje podia ter um contrato a full-time com a WWE ou a NJPW e ser um nome importante numa destas empresas. Mas prefere ser um verdadeiro freelancer, combatendo onde quer e quando quer. Neste ano de 2016, fez apenas 18 combates, em sítios tão diversos como o NXT, WWN Live, DDT, Kaiju Big Battel, Wrestle-1 e Inoki Genome Federation. No King of Pro-Wrestling, surpreendeu todos ao ser a pessoa debaixo da máscara de Tiger Mask W, sendo de prever que venha a ocupar o mesmo papel no Wrestle Kingdom. Segundo o que tem sido reportado em diversos sites, será ACH por baixo da máscara de Tiger The Dark neste duelo. ACH brilhou na Junior Heavyweight Tag League da NOAH ao lado de Taiji Ishimori e merece assim uma nova oportunidade de mostrar o seu talento no Japão, depois de ter abandonado a Ring of Honor recentemente.

Este será certamente um bom sprint para abrir o PPV. A vitória não me parece estar em questão para Tiger Mask W, mas no ar ficará sempre a questão: quando voltaremos a ver Kota Ibushi num ringue da New Japan?

IWGP Junior Tag Team Championship: Young Bucks (c) vs. Roppongi Vice
Eu ainda não acredito que vamos ter um combate 2 vs. 2 no Wrestle Kingdom pelo Junior Heavyweight Tag Team Championship. Não sendo exatamente o combate mais fresco de sempre (as duas equipas já se defrontaram várias vezes na NJPW e na ROH), parece algo inovadora a ideia de termos uma equipa campeã e outra atrás do título, em vez de um combate Four Way como tivemos nos últimos dois Wrestle Kingdom.

Após um ano complicado para Rocky Romero e Beretta, que por várias vezes estiveram perto de se separar, os membros dos CHAOS conseguiram vencer o Super Junior Tag Tournament para conquistar esta oportunidade, fazendo as pazes pelo meio. Já os Young Bucks... são os Young Bucks, já todos sabem o que a casa gasta, para o bem ou para o mal. Curiosamente (ou não), teremos frente-a-frente Bullet Club e CHAOS, tal como no main-event deste Wrestle Kingdom. Outro facto interessante: se os Young Bucks vencerem este combate, serão a primeira equipa a conseguir três defesas com sucesso do título desde os Time Splitters em 2014.

Este será um tema recorrente nos combates por títulos deste card, mas é complicado apostar num vencedor para este combate, quanto mais não seja pela componente de aleatoriedade do booking desta divisão. Os Young Bucks são uma das melhores equipas do mundo e os Roppongi Vice também não são nenhuns cepos, por isso também é de esperar um bom combate.


NEVER Openweight 6-Man Tag Team Championship Gauntlet Match
Com o combate pelos títulos Junior Tag a ser um 2 vs. 2, o Gedo tinha de cumprir a quota de combates multi-team, daí termos estes combate pelos títulos de Trios. Este é claramente um combate "vamos meter toda a gente no card", mas a ideia de termos todas as stables da New Japan frente-a-frente até está interessante.

Nomes como Will Ospreay, YOSHI-HASHI, EVIL e SANADA foram peças importantes do mid-card da New Japan ao longo do ano e mereciam algo melhor, mas não há spots infinitos no card. Por outro lado, há outras pessoas que não me importava de ter visto relegadas para a New Japan Rumble, como Jado e Yujiro Takahashi. O combate será um Gauntlet Match, ou seja apenas teremos duas equipas em acção de cada vez, o que penso ser uma boa opção, de outra forma isto seria demasiado caótico.

Em geral acho que ninguém espera nada do outro mundo em termos de qualidade deste combate, mas há algumas possíveis interações que serão muito interessantes, como Ricochet vs. Ospreay. O Trio de Kojima, Finlay e Ricochet parece retirado do Random.org, mas a verdade é que têm boa química e têm sido bons campeões, no entanto penso que o reinado deles terminará aqui. A minha aposta vai para a equipa dos Los Ingobernables de Japón, acho que são a equipa com maior potencial para "carregar" esta divisão, mas não fico surpreendido com outro qualquer resultado.

Cody vs. Juice Robinson
Excepto o Tiger Mask W vs. Tiger The Dark, este é o combate mais previsível do card em termos de resultado. Sejam ou não fãs do Cody, e apesar de ao longo dos últimos meses não estar propriamente a deixar as Indies em brasa, parece evidente que há planos para ele, ainda para mais tendo sido logo incluído nos Bullet Club.

A grande incógnita está mais em qual será o futuro de Cody na New Japan. A famosa lista de adversários desejados que Cody postou nas redes sociais tem um nome que está neste card: Katsuyori Shibata. Por isso, parece certo que mais tarde ou mais cedo farão esse combate. E em termos de booking não é muito difícil de lá chegar. Cody vence, mais tarde Shibata retém o NEVER Openweight Championship e o ex-WWE desafia o campeão para um combate, por exemplo, num dos shows New Beginning de fevereiro.

Em relação ao combate propriamente dito, é um bom prémio para Juice Robinson. O ex-CJ Parker era também alguém cuja ida para a New Japan foi vista com algum cepticismo, mas a verdade é que tem tido uma boa evolução e hoje já é um worker sólido que pode ser confiado para ocasiões destas, em que o objetivo será deixar o adversário bem na fotografia. Na pior das hipóteses será um combate inofensivo.

ROH World Championship: Kyle O'Reilly (c) vs. Adam Cole
À semelhança do ano passado, o Gedo voltou a "oferecer" um lugar no card do seu maior show do ano à ROH, que desta vez será ocupado por um rematch do último Final Battle. Uma das histórias de bastidores mais interessantes de seguir neste final de 2016 é a situação contratual de vários talentos de topo da Ring of Honor, cujos contratos terminam a 31 de dezembro. Na hora em que escrevo esta preview (noite de 30 de dezembro), Kyle O'Reilly ainda não renovou contrato. Há rumores de que a NJPW está interessada em dar um contrato exclusivo ao ROH World Champion, mas nada é oficial. Ou seja, este pode ser o último ou dos últimos combates de O'Reilly enquanto lutador da ROH. Por isso, dependendo do que se passar entretanto, não ficaria surpreendido se fosse tomada uma decisão de "pânico" e voltar a dar o título a Cole.

Os combates pelo título da ROH que nos últimos tempos temos tido no Japão não têm sido nada de especial (graças a Jay Lethal, dirão alguns), e não ajuda que este seja um card tão repleto de combates com possibilidade de roubar o show, mas a verdade é que falamos de Adam Cole e Kyle O'Reilly, uma combinação que já deu grandes combates na ROH nos últimos anos. Claro que é sempre uma incógnita a forma como o público japonês irá reagir a estes dois homens, mas pelo menos Kyle O'Reilly já é uma figura bem estabelecida no roster (já agora, é pena que Bobby Fish não tenha tido lugar neste card, também merecia).

IWGP Tag Team Championship: Guerillas of Destiny (c) vs. Great Bash Heel vs. Tomohiro Ishii e Toru Yano
Togi Makabe e Tomoaki Honma venceram a World Tag League, derrotando os Guerillas of Destiny na final, e assim conquistaram direito a esta oportunidade pelo IWGP Tag Team Championship. Até aqui tudo bem, já que esse combate final da WTL até foi muito bom, em mais uma prova da evolução de Tama Tonga e Tanga Loa enquanto equipa ao longo dos últimos meses. O problema veio depois.

Já com GoD vs. GBH oficializado, num dos shows "Road to Tokyo Dome" Toru Yano fez o seu regresso à NJPW depois de umas "férias" na Pro Wrestling NOAH, atacou os membros de ambas as equipas e roubou para sua posse os títulos de tag team. Apenas por essa razão, este combate foi transformado num Three Way, com Ishii (que supostamente faria equipa com Ospreay e YOSHI-HASHI no combate Gauntlet pelo NEVER 6-Man Tag Team Championship) a assumir-se como parceiro de Yano.

E essa alteração chateou-me bastante, pois acabou piorar dois combates. Não me parece que tornar este combate num Three Way venha exatamente a melhorar a sua qualidade, e depois no combate pelo título de Trios retiraram o Ishii e substituiram-no pelo Jado, o que também claramente não é uma evolução positiva. Era assim TÃO importante que o Toru Yano tivesse um lugar no WK, tendo em conta os nomes que apenas vão estar no Rumble? E depois há a questão da descredibilização da World Tag League que acho que nem preciso desenvolver. Se o plano não for para Ishii e Yano vencerem o combate e os títulos, esta mudança torna-se ainda mais parva, por isso aposto na vitória dos membros dos CHAOS.

Confira mais sobre o WrestleKingdom, notícias da WWE, ROH, TNA e diversas outras empresas ao redor do mundo no Fórum de Pro-Wrestling!
Tem alguma dica de notícia ou correção? Envie-nos clicando aqui!