Will's Ratings #3- WWE Royal Rumble 2017

Fala galera, aqui é o Will e hoje irei trazer alguns ratings e opiniões sobre o WWE Royal Rumble 2017, realizado no dia 29 de janeiro.

Six Women Tag Team Match: Becky Lynch, Naomi e Nikki Bella venceram Alexa Bliss, Mickie James e Natalya
- Nada mais do que se era esperado. Alguns moves legais estéticos, com a clássica heel vs babyface. Por mais que tenha sido simples, todas foram bem. 
Típica match para preencher card, com poucos minutos e nada espetacular.

Rating: * 1/2 

RAW Tag Team Title Match: The Club (Karl Anderson e Luke Gallows) venceram Sheamus e Cesaro (c)
- Contou com um pace legal e ambas as tags tem boa química, alguns moves combinados  e conseguiram fazer algo ‘’assístivel’’, apesar do mal tratamento, dando apenas 10 minutos em um Pre-Show para duas Tag Teams de qualidade que conseguem proporcionar algo muito melhor.

Rating: ** 1/2 

Singles Match: Nia Jax venceu Sasha Banks

- Estava me agradando muito. Nia estava muito bem como a monster heel e a Sasha também dentro do papel de underdog. Ambas colocaram uma boa intensidade, com um bom work no joelho da Sasha, assim como o selling dele.

No final, uma tentativa bem sucedida de fazer a Nia Jax forte, mas não fazendo a Sasha parecer fraca ao mesmo tempo. Simples e efetivo.

Rating: * 1/2 

RAW Women’s Title Match: Charlotte Flair (c) venceu Bayley
- Boa match.
Teve um bom build, com a Charlotte sendo dominante em boa parte, mas com um work não tão efetivo. Contaram a clássica história da babyface underdog que apanha por boa parte e tenta dar a volta por cima com todo seu coração e espírito de luta, que parece saturada várias vezes, mas que se enquadrou muito bem aqui.  Ambas interpretaram seus personagens muito bem, especialmente Charlotte, que foi incrível com suas expressões faciais e trash talk.

Pelo build que foi feito nos minutos iniciais, eu pensei que iria ser colocado mais intensidade e isso acabou machucando a match um pouco.  Algumas coisas poderiam ter sido acrescentadas para um aumento de qualidade e emoção, mas mesmo assim conseguiram tirar algo bom. O spot final do Natural Selection foi simples e violento, e uma boa maneira de se encerrar a luta.

Rating: *** 

WWE Universal Title- No DQ Match: Kevin Owens (c) venceu Roman Reigns
- Owens e Reigns são dois brawlers de qualidade e que conseguem atuar muito bem nesse tipo de estipulação, e acabaram por mostrar isso.

Uma match física e intensa do começo ao fim, com spots muito bem colocados e dosados para serem aplicados na hora certa. A ação dentro tanto quanto fora do ringue foi muito boa, não perdendo a crowd em nenhum momento. Em suas lutas anteriores, ambos não mostraram muita química atuando juntos, então essa foi a decisão correta a se tomar em relação à estipulação. Em questão de character work, Owens foi muito bem e fez a sua melhor atuação em um bom tempo, mas Roman ainda não é um babyface convincente, e isso acaba o prejudicando em algumas performances, mas como a intenção era passar longe da história e focar na parte física e dos spots, é de se relevar em alguns momentos.

O ponto negativo foi como terminou. Com toda certeza, um final limpo contribuiria muito mais do que uma interferência vazia e sem sentido, que se baseou apenas por um spear aleatório aplicado em um RAW.  Isso acabou por tirar o brilho do que Reigns e Owens construíram, impedindo que ambos colocassem algo que já estava bom, em um patamar acima.

Rating: *** 3/4

WWE Cruiserweight Title Match: Neville venceu Rich Swann (c)
- Boa match, e que acabou me surpreendendo.

Uma atuação excelente por parte de Rich Swann, mostrando uma boa ofensiva combinada com boas seqüências de strikes e rope-spots, e Neville, como sempre muito bem, mostrando porque é um dos melhores cruiserweights do mundo. Ambos mostraram boa química e foram muito bem em seus devidos papéis na história desenvolvida, principalmente Neville, com essa nova postura agressiva que faz dele umas das melhores coisas dessa divisão.

Pelo jeito que a match foi construída no começo, por um momento achei que iriam dar o tempo para os dois mostrarem do que realmente são capazes, mas acabou por não acontecer. A maneira como a luta terminou também não foi ideal, visto que Neville foi para o pin naquele Superplex perdendo a oportunidade de encaixar seu finisher logo após o move de impacto, cortando um pouco o clímax e perdendo uma possível reação maior da crowd.
A luta acabou por sofrer uma ‘’machucada’’ devido a falta de interesse do público, mas mesmo assim, colocaram algo bom e acima do esperado.

Rating: ***

WWE World Title Match: John Cena venceu AJ Styles (c)
- Sabia que John Cena e AJ Styles tinham um espetáculo guardado, e foi o que apresentaram.

Confesso que na primeira assistida não me agradou tanto quanto agradou na segunda, e que não sou um grande fã da fórmula que apresentaram nas duas primeiras, mas essa conseguiu me impressionar.

Essa contou com um bom build e com uma boa intensidade, que foi aumentando cada vez mais ao decorrer que o tempo ia passando. O fato de como ela foi construída totalmente dentro do ringue merece o destaque devido. A história que ambos conseguiram contar também foi excelente, onde cada um tinha a devida resposta para o que tentassem, além das expressões faciais, que foram incríveis e os momentos finais emocionantes. Similar a primeira match dos dois, também foi baseada em big moves e nearfalls espalhados ao longo da luta, mas dessa vez não na mesma freqüência e não saturando da mesma forma. Cena e Styles não perderam e não deixaram o público desviar as atenções em nenhum momento,  o que é um ponto importante.

Não sou um grande fã de matches repletas de nearfalls e moves aleatórios, mas essa eu consegui abrir uma exceção, porque realmente se encaixou no que se foi construído e muitos dos moves pareceram efetivos e críveis. Eram dois caras tentando bater um ao outro com toda ofensiva que tinham e que estavam claramente desesperados para conseguir a vitória, e isso foi uma coisa fácil de se perceber e que se deve as expressões faciais, que contribuíram muito.

Mas como toda boa match, ela também teve seus defeitos que a impediram de ser melhor.
Aquele primeiro AA logo no começo foi um tanto quanto desnecessário, principalmente porque ainda estavam construindo a match. O selling foi inconsistente em muitos momentos, mas no final começou se perder de vez, principalmente por parte do Cena. Os finishers não foram protegidos como deveriam, e isso foi o que mais me desagradou, onde após o segundo Styles Clash, Cena praticamente ignorou que tinha sofrido um dos finishers mais protegidos dos últimos anos pelo mundo todo, levantando-se como se nada tivesse ocorrido e isso acabou ficando um tanto quanto bagunçado no final. São fatores simples, mas quando não aplicados corretamente, acaba-se por sofrer e jogar boas coisas que foram feitas por água a baixo. 

O importante é que independente de qualquer coisa, ambos fizeram a melhor match da noite e conseguiram entreter todos da arena, consagrando um dos momentos mais importantes da carreira de John Cena e fazendo o melhor combate da série Cena/Styles.

Rating: **** 1/2

30 Battle Royal Match: Randy Orton venceu Apollo Crews, Baron Corbin, Big Cass, Big E, Braun Strowman, Bray Wyatt, Brock Lesnar, Cesaro, Chris Jericho, Dean Ambrose, Dolph Ziggler, Enzo Amore, Goldberg,  Jack Gallagher, James Ellsworth, Kalisto, Kofi Kingston, Luke Harper, Mark Henry, Mojo Rawley, Roman Reigns, Rusev, Sami Zayn, Sheamus, The Big Show, The Miz, The Undertaker, Tye Dillinger e Xavier Woods

- Não foi horrível e também não foi bom, mas contou com muitos pontos negativos.

Não houve nada relevante ou interessante até a entrada do Strowman limpando o ringue, e por incrível que pareça, foi muito bom. Algumas interações foram boas, principalmente para desenvolvimento de algumas feuds, como Harper/Wyatt/Orton. Manteve-se morna novamente até a entrada de Goldberg e Lesnar para eliminar uma boa parte dos participantes, o que não foi nada impactante. A única coisa que pareceu importante e que gerou um buzz enorme foi a eliminação do Undertaker por Roman Reigns, podendo culminar em uma possível feud de Wrestlemania. O fim não foi de um todo ruim, mas como essa match movimentou um hype gigante, a decepção era esperada para um final tão morno.

O tratamento que colocaram em cima do Brock Lesnar mais uma vez beirou o ridículo, apenas entrando para eliminar alguns que todos sabiam que não venceriam, mas novamente servindo de escada para o Goldberg, que com apenas um spear derrubou e eliminou um personagem que foi construído e moldado como imbatível durante mais de 2 anos. As eliminações por parte do Undertaker não foram críveis, assim como sua participação foi bem apagada e rápida. A entrada de Roman Reigns como número 30 foi desnecessária, visto que poderiam ter feito e planejado algo melhor para ele dentro da match, ao invés de colocá-lo para fazer algumas eliminações apenas por fazer, e eliminar o principal candidato a vencedor, praticamente apagando a boa atuação que ele teve na Universal Title Match.

No geral, inúmeras entradas foram horrivelmente posicionadas, assim como algumas eliminações precoces. Os três maiores nomes não tiveram nenhuma interação, marcando a atuação fraca pela maioria e quebrando uma imensa parte do hype que todos os fãs criaram. No fim, não houve ninguém que conseguiu se sobressair, sem quase nenhum momento que realmente mereça ser ressaltado, culminando em algo fraco e sem muito brilho.

Por mais um ano, faltou à grande essência da Royal Rumble Match, que são momentos memoráveis e emoção. E por mais um ano, a WWE consegue apagar a grande atração da noite.

Rating: ** 1/4
_____________________________________________________________________
Caso tenha assistido o show, deixe sua opinião e análise nos comentários, é sempre bom contar com outras análises e pontos de vista. Até a próxima!
Tem alguma dica de notícia ou correção? Envie-nos clicando aqui!