Molly Holly: "Nunca me senti desvalorizada na WWE"

Colt Cabana entrevistou recentemente no The Art Of Wrestling a antiga campeã feminina da WWE Molly Holly. Entre outras coisas, Holly falou sobre se ela se sentiu ou não desvalorizada, da noite que foi ver Vince McMahon para deixar a empresa e de porquê muitos lutadores profissionais tem problemas a voltar ao que eles chamam de "vida civil".

"Apesar de que os fãs e os jornalistas costumam me dizer que consideravam que minhas habilidades e meu personagem estavam desvalorizados, que não consegui o respeito que merecia, eu não concordo com tudo" assegurou Holly. "Fui campeã feminina, tenho uma figura, saía nos jogos de videogame, estive na WrestleMania... em minha opinião, isso não é estar desvalorizada. Realmente, acho que não posso me queixar, foi muito bom para mim"

Durante a entrevista, Holly narrou a noite que foi ver Vince McMahon com a ideia de deixar a WWE e os problemas que isso causou em John Laurinaitis, chefe de relações com talentos naquela época:

"Foi numa segunda-feira após a gravação do RAW. Muitos acreditam que foi porque nessa noite fui derrotada por Christy Heme, mas acreditem em mim quando eu digo a vocês que nem sequer lembro deste combate... simplesmente, apenas percebi que não podia subir no ringue mais uma vez, então esperei o final do RAW e fui ao escritório de Vince. Quando chegou, eu perguntei a ele se poderíamos falar um momento e me disse que sim, então nós nos sentamos; a primeira coisa que fiz foi agradecer-lhe por tudo o que ele tinha feito por mim e depois eu perguntei se ele poderia me liberar do meu contrato, do que restavam nove meses. Vince reagiu muito bem, Deus, foi fantástico! Me repetiu mil vez o quanto ele me valorizava, o quanto que significava para a empresa, etc. E me disse que se eu precisava passar um tempo, eu fizesse isso, que levasse seis meses, ou o que eu necessitasse e que retornasse quando estivesse preparada, que sempre seria bem-vinda. No dia seguinte, John Laurinaitis me chamou para me perguntar por que não fui falar com ele primeiro, pois ele era o chefe de relações com talentos, e ele ficou bravo porque não sabia nada de mim e eu havia 'ignorado' ele ao ir falar com Vince... sinceramente, eu agi assim porque pensei que John não poderia se comunicar com Vince do mesmo em que eu fiz. Além disso, não deixava de me perguntar se eu tinha certeza de que não era questão de passar uma temporada sabática, e minha resposta era sempre a mesma: 'Não posso mais, não quero mais. Isso acabou para mim'." 
Em relação a este tema, Holly também falou sobre os problemas que muitos lutadores profissionais tem ao se aposentar, e comparou a situação com a dos soldados que voltam de um confronto com síndrome de stress pós-traumático.

 "Muitos wrestlers (lutadores) passam muito mal quando se aposentam porque acham que sua identidade, tudo o que são, está relacionado com este mundo já que, quando você está nele, você estabelece relações com os que te rodeiam, você vive neste circo com a pressão dos meios de comunicação, ao qual é adicionada ao que Vince e os outros executivos exercem, e inclusive falamos nosso próprio idioma, um jargão que o resto das pessoas não entendem, e tudo é muito estranho. Ninguém que estranha este negócio pode entender de todo nosso estilo de vida. Por isso, quando alguns lutadores se lesionam, são demitidos ou se aposentam, de repente se veem fora desse ambiente, dessa comunidade, e perdem a sensação de pertencer a um lugar, se sentem sozinhos e desprotegidos, e se perguntam o que vai ser deles a partir de agora, como eles vão interagir com as pessoas, pois em sua cabeça, eles perderam suas identidades e as únicas pessoas que os entendiam."
Tem alguma dica de notícia ou correção? Envie-nos clicando aqui!

Diego Ceratti: Também com o cargo de administrador, é responsável por boa parte do conteúdo que se encontra aqui, tanto em notícias, coberturas, além de fazer parte do pessoal que cuida do HOW Apostas, um dos principais espaços do site. - Facebook