Impact Asylum #5 - Títulos secundários

E lá vamos nós para mais uma edição desse espaço que relembra grandes momentos/wrestlers da história da TNA Wrestling (atual: GFW Wrestling) e seguindo esse caminho iremos fazer um breve resumo histórico de um dos maiores problemas que a empresa nunca soube definir um caminho correto ou consolidar de forma absoluta este tema. Seguindo a linha de pensamento de idéias que deram certo (após um breve resumo sobre a X-Division e o Gut Check) chegou a vez de falar dos cinturões secundários da companhia.

Impact Asylum #5 - Titulos Secundários

Estávamos no longínquo ano de 2008 e a empresa tinha um vasto roster que necessitava e possibilitava a inclusão de um novo cinturão para compor novas histórias e valorizar outros wrestlers que não estavam naquele momento pelo cenário do Título Mundial. Foi então que durante uma história em que "veteranos e rookies" rivalizavam entre si, Booker T introduziu no cenário do Impact um novo cinturão (que estava numa maleta que ele havia ganho), o TNA Legends Championship (se declarando primeiro campeão inclusive. Então em 2009 durante o Destination X AJ Styles vence o cinturão e se declara TNA Grand Slam Champion (venceu todos os cinturões da companhia) e é então que Jim Cornette anuncia que o cinturão a partir daquele momento se tornaria legal e faria parte da lista de belts da empresa.

Em Outubro de 2009, Eric Young iria renomear o cinturão pela primeira vez que a partir desse momento seria chamado de TNA Global Championship e declarou que ele não iria ser defendido em solo americano ou contra wrestlers americanos, sendo sua primeira defesa contra Hamada (japonesa, sim, uma mulher). O melhor ainda estaria reservado para quando Eric perdesse o cinturão para o Rob Terry (britânico) que sua vez perderia para o AJ Styles que retornaria a ter o cinturão em mãos e nesse momento renomeou novamente para TNA Television Championship (alcunha que durou um bom tempo e tivemos alguns grandes nomes como campeões - Douglas Williams, Abyss, Eric Young, Devon, Samoa Joe).

É Importante destacar também que em 2012 o então General Manager do show,  Hulk Hogan, declarou que o cinturão deveria ser defendido toda semana (essas defesas duraram entre Abril - Junho). Até que em 2014, Kurt Angle anunciou que o cinturão havia sido desativado e retornaria em 2015 como TNA King Of Mountain Championship e o novo campeão foi determinado em uma luta do estilo do nome do cinturão no Slammiversary do mesmo ano e quem tomaria posse seria o Jeff Jarrett que estava participando como representante da Global Force Wrestling contra a TNA. Ele iria perder o cinturão para Eric Young durante um ataque do mesmo, e em 2016 foi declarado que o cinturão havia se tornado vago, desativado e suspenso para o anuncio de um novo cinturão...


Atualmente

Naquele momento em que foi suspenso o KOTM Championship eis que surge um novo cinturão com a cara da empresa que se formaria alguns meses depois da criação do mesmo, o Impact Grand Championship. Esse cinturão foi introduzido pelo então presidente da TNA, Billy Corgan, e fazia um mix de regras do MMA com PW, onde cada luta ocorreria em três partes com 3 minutos cada uma e seria avaliado por juízes que ficam fora do ringue, geralmente, sendo nomes já conhecidos pela Impact Zone. O wrestler pode vencer também por pinfall ou submission.

Um breve resumo da "carreira" do atual cinturão que teve como primeiro campeão um velho conhecido da galera, o Aron Rex que venceu a final do torneio contra Eddie Edwards no Bound for Glory de 2016 (Eddie Edwards foi o escolhido para substituir Drew Galloway que se contundiu). Após isso tivemos Moose campeão (por 2x), Drew Galloway e mais recentemente o cinturão mudou de mãos e está sob posse de Ethan Carter III.



Conclusão

Como já citado anteriormente a empresa acaba se perdendo em meio as ideias para o cinturão secundário e essa indefinição/precipitação acabou denegrindo a imagem do mesmo e perdendo um tempo precioso que poderia estar servindo para credibilizá-lo, por exemplo. Tantas mudanças de nomes, de estilo e de formas de defesa só cria confusão e desvalorização na mente do público que acompanha o show semanalmente. Quando enfim achávamos que a empresa poderia acertar e criar um cinturão credível para os midcards, a empresa em uma tentativa falha de aproximar o produto com o MMA cria regras ridículas que detonam qualquer empolgação em torno dos combates. Aliás esse é um erro cotidiano no mundo do PW, essa tentativa de conquistar fãs de outros esportes que dificilmente irão abandonar seu produto para acompanhar um show que eles mesmos citam e criticam por ser falso. É importante salientar também que feita análise dos nomes que tiveram o prazer de ter em suas mãos o cinturão, apenas Moose pode ser considerado midcard, Aron Rex e Galloway já foram embora e mesmo assim não poderiam ser colocados como midcards em seu período na empresa (talvez mais Galloway que Rex) e o atual campeão passa longe dessa colocação por parte da empresa quando lembramos que ele já foi World Championship. De acordo com as previsões essa história que vem ocorrendo irá servir para retirar as regras de MMA dos combates pelo cinturão mas por enquanto não passa de especulação para as cenas dos próximos capítulos por enquanto é o que temos.

VIVA GFW!