Jim Cornette fala sobre seu retorno à GFW e dispara indiretas

Jim Cornette, ex-membro da equipe criativa da WCW e manager da dupla "The Midnight Express", durante a última edição de seu podcast comentou sobre o seu retorno à GFW no especial "Destination X". Confira abaixo os destaques:

Sobre fazer parte do vestiário da GFW:

"Vamos deixar as coisas claras, eu não sou um membro do vestiário da Global Force Wrestling. Apesar de estar no site há dois anos quando fiz alguns shows em alguns parques,mas como todos sabem, não estou interessado em nada a tempo integral com qualquer empresa. Isso é devido ao simples fato de que eu tenho muitas coisas para fazer e não gosto de viajar. Mas nesse caso, retornei e consertei as coisas, vi alguns dos meus velhos amigos e meninos, foi incrível. Há muito tempo não vou lá, mas você respira um novo ar. É como essa praga que foi embora da Impact Zone desde a última vez que pisei lá. De qualquer forma, queria, ainda estamos no processo de gravação de vários programas de televisão durante as semanas e tem mais algumas coisas que a empresa quer que eu faça, enviar muitas mensagens, mas isso é tudo. Não sou membro da GFW. Não sou um comentarista, não sou um lutador, não sou um manager, não sou uma pessoa da produção, não tenho nada a ver com a área criativa. Trabalho diretamente para a empresa e cuido dos problemas que eles me enviam."

Sobre problemas com alguns talentos:

"Não tenho nenhuma vela nesse funeral, não me importa quem vença ou perca, desde que eles sejam justos. E disse algumas coisas na noite passada que esclarecei com eles nas próximas semanas, mas eu não gosto da ideia de que alguns desses meninos que são grandes estrelas, cheguem aqui, levem o dinheiro e se sintam como se estivessem de férias ou que são tratados como gente de segunda. Eles vão sentar até que consigam o respeito apropriado, isso são novas notícias para todo mundo"

"O que você vai demonstrar no ringue, você levará uma conduta profissional para fora do ringue. Se você fizer isso, então vamos ficar de bem com todo mundo. Mas como você sabe, não tenho paciência para qualquer um que pensa que necessita de tratamento especial ou que querem estar na glória, fazer o que queiram da sua própria maneira ou tomar o negócio para eles. Isso é exagerar. Mas outra vez, temos toda uma equipe que, se não estão felizes e não querem fazer isso, se qualquer lutador não quer seguir as direções da empresa e se manter como um profissional tanto dentro como fora do ringue, temos toda uma equipe que pode levar as suas malas para o carro e apontar a porta de saída. Então, eles podem fazer o que quiserem."

Sobre ser ainda seu próprio chefe:

"Sim. Sou contratado de forma independente. Sou um representante corporativo, como contratado independente. Não sou membro do plantel, não assinei um contrato, assinei acordos, obviamente, para estar na televisão. Não me interpretem mal em relação a isso, mas estarei aqui enquanto houver um problema para eu resolver. Eu vejo assim, eu serei como Paul Lynde em Bewitched. Eu não vou ser um membro regular do elenco do show, mas vou fazer aparições quando necessário e provavelmente vou roubar o show quando eu fizer isso, então apenas me considere como tio Arthur no Impact Wrestling. Eu mencionei isso, não é nada a ver com a qualidade da empresa, todos me trataram maravilhosamente, vi um bando de meus velhos amigos lá naquela noite e conheci um bando de pessoas que não conhecia, mas eu sempre amei todo mundo do Impact Wrestling, exceto duas pessoas específicas, que surpreendemente não estão mais lá. Então é por isso que eu disse que o ar estava mais fresco. Eu sou meu próprio chefe, não estou assinando nenhum negócio exclusivo, ou negócios de longo prazo, para qualquer coisa com qualquer um. Eu estou muito velho para fazer isso regularmente, mas vou aparecer quando há razões para eu fazer isso"

Sobre se ele espera tentar evitar outra "situação Hardy":

"Tudo está sendo genial pelo momento, mas alguns lutadores não vão gostar das coisas que vou falar. Espero que todos os fãs fiquem, mas o ponto é que não vamos entregar títulos. Não vamos ter pessoas chegando e se aproveitando de donos sem experiência. São grandes homens de negócios, eu realmente conheci eles, mas entraram no pro-wrestling e realmente não sabem como lidar com essas personalidades. Nós falamos sobre algumas das situações e problemas e serei honesto: O que está sob a ponte com toda a situação dos Hardys, eu já mencionei isso, e não pode ser debatido porque está nas mãos dos advogados, mas espero que com uma pequena contribuição eu possa evitar que coisas assim aconteçam novamente. Eu não sou apenas um assassino a mando da empresa. Eu sei o quão difícil é ser um lutador. E se eu vejo esses lutadores mostrando esforços positivos, que trabalham duro e se comportam como profissionais, que são pontuais e fazem o que é pedido sem que envergonhe a empresa, então estaremos bem."

"Mas se querem que tudo seja sobre eles, ou pensam que vão ganhar um nome ou uma reputação, ou que sairão sujando a aparência da empresa de qualquer forma, me desculpe, mas eles vão ter uma passagem de ida para qualquer outro lugar, porque não vou aguentar isso. Muita gente sabe, como disse na noite passada, que não sou alguém de caridade. Não darei uma merda de uma muleta quando estamos falando de negócios. Eles me tratam bem e eu faço o mesmo. Se não fazem, serão insultados e não tenho nenhum problema com mudar coisas por aqui para assegurar o melhor para, bom, não posso dizer o melhor para os negócios porque pode estar registrado, mas sim o melhor para o Impact"

Diego Ceratti: Também com o cargo de administrador, é responsável por boa parte do conteúdo que se encontra aqui, tanto em notícias, coberturas, além de fazer parte do pessoal que cuida do HOW Apostas, um dos principais espaços do site. - Facebook