Stunner #1 - O fim da Brand Split?

A primeira edição do Stunner aborda alguns sinais que indicam que o fim da Brand Split está próximo de acontecer.

Olá, meu nome é Henrique Moura, administrador do HOWrestling e sejam bem-vindos a primeira edição do Stunner. Neste espaço irei abordar diversos temas relacionados ao pró-wrestling, visando a interação com os leitores.

Para esta primeira edição decidi falar sobre a Brand Split e alguns sinais que indicam que ela esta cada vez mais próxima de chegar ao fim.

Vamos voltar ao passado e lembrar do exato dia em que Mick Foley, Daniel Bryan, Shane e Stephanie McMahon deram início a esta rivalidade entre o RAW e SmackDown Live, onde foi deixado claro que a disputa seria para ver qual show se destacaria mais, e com isso nunca mais iríamos ver algum Superstars participando do show "concorrente".

Essa promessa não durou muito tempo e semanas antes do SummerSlam 2016 vimos Randy Orton e Brock Lesnar, antes de se enfrentarem no PPV, fazendo uma "visitinha" ao show concorrente para atacar um ao outro. Embora tenha sido um momento de euforia para o WWE Universe, isso fugiu totalmente das regras originais quando o assunto é a divisão de brands.

Quando o retorno da Brand Split teve início, algo importante a ser destacado era o trabalho dos comentaristas em seus respectivos shows. No início nenhum comentarista abordava tal acontecimento da outra brand, até mesmo PPVs. Isso mudou nos últimos meses e agora vemos os comentaristas do RAW mencionando o outros show de uma forma tão natural que o que havia sido prometido no início foi totalmente deixado para trás.

Ultimamente os comentaristas da brand azul comentam tal acontecimento na brand vermelha com tanta empolgação que acabam se esquecendo do próprio show em que estão a comentar. Se a idéia no começo era ter algum tipo de competição entre as duas brands, para ver qual apresentaria o melhor show, não tem tanto sentido ficar dando destaque ao seu "concorrente". Ao invés de cada um defender o "seu pão" estamos vendo cada show destacando seu concorrente, o que foge totalmente do que é uma divisão de brands.

Ainda mencionando alguns fatos fora dos ringues, no início, cada show tinha a sua entrevistadora e na teoria isso afastaria cada show um do outro. Porem, isso durou pouco tempo e logo WWE decidiu colocar Renee Young em ambas as brands. Mesmo que seja uma mudança sutil, é algo importante a ser destacado.

E isso não é tudo. A supremacia que é vista do RAW para o SmackDown Live é algo surreal. O início da brand azul após a Brand Split foi incrível, superando sempre o lado vermelho da empresa quando o assunto era audiência. Isso parece não acontecer mais e se deve muito as recentes mudanças, que para mim, são sem sentido algum. Vamos usar a chegada de Jason Jordan ao RAW. A WWE preferiu acabar com uma dupla da divisão que era os American Alpha, enfraquecendo a divisão de duplas do SmackDown Live, apenas para revelar que Jordan era o "filho" de que Kurt Angle.

Outro exemplo claro disso é o shake-up de The Miz e Dean Ambrose para a brand vermelha justamente quando eles rivalizavam pelo Intercontinental Championship na brand azul, rivalidade aquela que podemos dizer que era a principal do SmackDown Live, pelo menos por algum tempo. Os dois foram para o RAW e a rivalidade não continuou a mesma coisa, e o SmackDown Live novamente saiu perdendo. Não podemos esquecer também da saída de Bray Wyatt, outra grande perda do lado azul da empresa.

O retorno de John Cena como free-agent é um outro grande exemplo de como os oficiais da WWE querem tornar o RAW o mais superior possível ao SmackDown Live. O grande retorno do Cenation Leader a brand azul acabou sendo arruinado quando foi confirmado que o seu retorno seria como free-agent e ele poderia participar de ambos os shows, mas porque estamos vendo o lutador apenas as segunda-feiras? Esta aí uma lógica que precisa ser discutida pela equipe criativa antes que essas decisões sejam tomadas.

Fora da TV temos visto essa quebra de regra da WWE quando Superstars de uma brand participam de Live Events da outra. Em teoria, quando um Live Event do RAW é realizado, espera-se que apenas os Superstars daquela brand participem do evento, mas não é isso que acontece. Isso também vale para os eventos do SmackDown Live.

As famosas substituições tem sido algo recorrente nesses eventos. Exemplo disso foi quando Seth Rollins substituiu Shinsuke Nakamura em um evento não televisionado para enfrentar Jinder Mahal pelo WWE Championship, ou seja, ainda vimos um Superstar de outra brand disputando o título máximo da outra. Um mês depois foi a vez de Brock Lesnar e Samoa Joe lutarem no evento da brand azul e com o WWE Universal Championship em disputa, isso mesmo, o título máximo do RAW sendo disputado no evento da sua brand rival. Isso só mostra o quanto a WWE não segue mais as regras de uma Brand Split.

Embora sejam apenas suposições, é claro que a divisão de brands já não é a mesma coisa de anos atrás ou até mesmo de quando foi confirmado o retorno da mesma, mas alguns sinais indicam que isso não é mais tão importante para a WWE e o fim da Brand Split pode estar perto.

O que tem achado da Brand Split? Acredita que ele chegará ao fim? Por qual motivo?

Até a próxima semana!
Tem alguma dica de notícia ou correção? Envie-nos clicando aqui!

Henrique Moura: Administrador do site. Atualmente cuida da parte de design, publicação de notícias, coberturas dos shows, além de cuidar da parte social do site. - Facebook