House of Wrestling - Tudo sobre WWE e Pro Wrestling em geral: HOW Star Ratings - WWE RAW The 25º Anniversary

HOW Star Ratings - WWE RAW The 25º Anniversary

No dia 22 de Janeiro de 2018, mais precisamente ontem, a WWE fez história, não só no sentido de ter sido o vigésimo quinto aniversário do RAW, mas de ter sido um dos RAW's mais memoráveis de se ver. Entretanto, a proposta desse novo quadro da House of Wrestling não tem como pretensão única saudar a grandiosidade desse Monday Night Raw, mas como também, analisá-lo de maneira crítica e sucinta, demonstrando aqui quais foram as minhas impressões e opiniões sobre o que ocorreu nesse Show. Para quem não me conhece, eu sou o mais novo redator da House of Wrestling, Josué Elias, do Canal do YouTube Clube do Wrestling. Cortando as apresentações e indo ao que interessa, vamos aqui à primeira Análise Geral e Star Ratings da HOW.

Aparição da Família McMahon e do Stone Cold Steven Austin:



O Show foi aberto pela Família McMahon. Primeiramente por Shane McMahon e Stephanie McMahon e depois veio a chegada de Vince McMahon, bastante ovacionado pelo público. Geralmente, nesse tipo de aparição sem qualquer obrigatoriedade de manter a Kayfabe por trás do Personagem, Vince não age como um babaca (já que seu Personagem é, no caso). Mas, Vince ao receber uma placa de comemoração do vigésimo quinto aniversário começou a menosprezar o presente e o público ali presente.

Ficou evidente que aquilo seria para introduzir o retorno de alguma lenda. E não existia lenda melhor para esse momento que Stone Cold Steven Austin, o grande Ace da Attitude Era que teve uma das melhores rivalidades da história da WWE com Vince McMahon no final dos anos 90. Stone Cold distribuiu seus Stunners, dois para Shane McMahon e um para Vince.

Fica como uma homenagem de honra o excelente trabalho de Personagem que fez o Vince, se demonstrando desde o início assustado com o que Stone Cold poderia fazer. Dito e feito, Vince provou mais uma vez do veneno de Stone Cold, que com um gostinho de cerveja na boca, saiu mostrando seus gestos obscenos levando a Crowd ao delírio. Um Segmento previsível, nada inovador, mas excelente para aumentar o Hype pro resto do Monday Night Raw.

Personalidades da história WWE visitando o General Manager do Raw Kurt Angle




Um segmento curto para arranjar espaço para diversas personalidades peculiares da história da WWE. O segmento contou com as participações ilustres de The Boogeyman, Brother Love e dentre outras Personalidades. Vale a pena dar uma conferida! A não ser se você tiver estômago fraco para ver Boogeyman comendo e cuspindo minhocas.

8-Women Tag Team Match: Sasha Banks, Asuka, Bayley & Mickie James (w) vs. Alicia Fox, Nia Jax, Sonya Deville & Mandy Rose - 0.75


Storytelling: 0.25
In-Ring Execution: 0.25
Match Psychology: 0.25
Timing: 0.00
Innovation: 0.0



Resultado: O time de Sasha Banks venceu, com a Chefona finalizando por submissão a Alicia ''Eterna Jobber'' Fox. O resultado e combate foi o mais insignificante. O que ficou de destaque foi o ataque de Asuka em cima de Sasha, Bayley e Mickie James, as jogando para fora do ringue, preconizando o que pode acontecer no Royal Rumble Match Feminino no próximo Domingo. Será que a Asuka está sofrendo influência de The Miz no Mixed Challenge da WWE? É uma pergunta interessante, e seria legal se eles explorassem essa mudança de atitude da Asuka através disso. Ou pode ficar por isso mesmo e ela continuar Face, com Sasha, Bayley e James como inimigas.

Combate: Um problema que eu já estava esperando para esse Monday Night Raw é que com as diversas aparições e segmentos que ele teria, os combates ficariam em segundo plano e teriam que ser bem rápidos. E foi o que aconteceu com esse combate de Tags. Não teve tempo nenhum para desenvolver algo significante digno de ser lembrado algum dia. Um combate para ser esquecido de tão ruim.

Celebração dos Raw's General Managers da história da WWE




A celebração contou com uma breve aparição de alguns General Managers do passado do Raw. O primeiro apresentado foi John Laurinaitis, que foi bastante vaiado, por ser provavelmente o General Manager mais chato e desinteressante da história da empresa. O segundo homenageado foi William Regal, atual General Manager do NXT. Foi bastante aplaudido, muito mais pelo sucesso que é o NXT do que por ter sido um grande General Manager do Raw. O terceiro apresentado foi Eric Bischoff, que fez bastante sucesso como Presidente da WCW e depois foi um dos primeiros General Managers do Raw a conseguir uma fama considerável. Não atoa o público no último Monday Night Raw o saudou de maneira surpreendentemente positiva. A última aparição foi completamente sem sentido, mas que serviu para fazer com que The Miz interrompesse a celebração. E a aparição foi de Daniel Bryan, que levantou o público e teve um estranhamento incomum com The Miz. Com certeza, se Daniel voltar a lutar na WWE, The Miz será uma das opções para seu primeiro adversário em muito tempo.

Intercontinental Championship Match: Roman Reigns (c) vs. The Miz (w) - 3.25


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 0.50
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 0.50



Resultado: Estranho. Muita gente esperava que Roman Reigns fosse realmente perder o Intercontinental Title antes da WrestleMania para ele enfrentar Brock Lesnar. Mas definitivamente, a gente esperava um novo campeão Intercontinental, e não mais do mesmo. É compreensível que The Miz tem o recorde de conquistas do Intercontinental para bater, e com essa conquista, ele vai para seu oitavo reinado com o título. Porém, tem um Roster inteiro precisando de oportunidades enquanto novamente o título é usado para aumentar o número de conquistas de Superstars que já tiveram seus títulos, como no caso do próprio Roman. Se contarmos o fato de que o último reinado do Miz com o Intercontinental não foi muito bom, eu não vejo perspectivas para ele fazer uma boa Run para a WrestleMania com nenhum outro nome atualmente. Ainda mais se contarmos com o fato também de que essa Stable de The Miz com Bo Dallas e Curtis Axel não está funcionando. É uma Stable sem identidade, com ''capangas'' genéricos que interferem em toda luta do mesmo jeito de sempre. Ninguém aguenta mais! Pelo menos, acredito que nesse sentido seria interessante se ele dropasse o título para Finn Balor, já que a Balor Club poderia enfrentar The Miztourage num embate interessante, e finalmente coroar Balor com um título depois de tanto tempo sem conquistar nada.

Combate: O melhor combate da noite que nem foi tudo isso. The Miz não trabalhou seu Personagem de uma maneira que se destacasse tanto. Ele praticamente não agiu como vilão, com exceção de alguns Over Bookers inseridos no meio da luta. A interferência de Bo Dallas e Curtis Axel foram mal posicionadas durante a luta, interferindo em momentos completamente desnecessários, e com o juiz banindo eles de maneira precoce demais, o que não gerou tanta euforia do público. Depois disso, a sequência final foi até empolgante, com vestígios de que The Miz iria perder a partida, principalmente depois do Kickout de Roman Reigns no seu Finisher. Porém, com uma derrota bem vendida, The Miz conseguiu na malandragem aplicar seu segundo Finisher e vencer a partida com um grande Pop do público. Não foi um bom dia para Roman Reigns que além de muito vaiado, perdeu o título.

A Despedida de The Undertaker





O retorno de The Undertaker foi brilhante e bem bolado pela WWE. Achei que faltou um pouco mais de tempo e drama nessa ''despedida'', mas o ambiente foi satisfatório, tendo em vista o fato dele encerrar sua carreira no mesmo ringue em que ele iniciou a sua carreira. Assim foram as palavras de The Undertaker:

Há 25 anos a carnificina começou. Durante 25 anos cavei covas, e enterrei todos que entraram no meu caminho. Durante 25 anos matei lendas como Stone Cold, Mick Foley e até mesmo meu irmão Kane. Todos tentaram me parar, e todos falharam. E agora, neste lugar, é hora de descansar em paz

Uma frase um pouco sem sentido em vista da história recente, já que Roman Reigns e Brock Lesnar não falharam em ''parar'' The Undertaker. Mas é algo que posso estar fugindo do contexto para analisar, e que realmente tem uma credibilidade pela figura lendária que é Undertaker. É hora de parar! Undertaker fez muito pela WWE e por nós fãs de Wrestling. Descanse em Paz, Undertaker!

Charlotte Flair confrontando Alexa Bliss e a Aparição de Ric Flair




Alexa Bliss falava sobre a possibilidade de defender seu título na WrestleMania, mas foi interrompida por Charlotte, seu grande carrasco dentro da empresa desde a derrota sofrida para ela no Survivor Series de 2017. Além dela tirar sarro da Alexa, Ric Flair veio para ajudar a entoar o ''Woooo'' junto com a Charlotte. Um segmento interessante, mas novamente não vejo necessidade de colocar gente do SmackDown Live no Raw, já que é uma comemoração do Raw e não do SmackDown. É praticamente como se a rivalidade entre as Brands fosse jogada de lado. Mas é apenas uma visão particular minha.

''Elias Samson, You Just Made The List''




O retorno do grande ''You Just Made The List'' voltou para alegrar a todos. Entendo que tem gente que não gosta dessa fala de Jericho. Ela tem lá suas vantagens e desvantagens. É fato que Jericho não é tão levado a sério na WWE hoje em dia, e isso ficou muito evidente pela forma como a NJPW usou ele nesse tour que ele fez por lá. Mas mesmo assim, o ''You Just Made The List'' não perde a graça, e com tanto tempo sem a gente ver Jericho interpretando essa fala, bateu uma saudade imensa disso.

Elias destrói John Cena




John Cena interrompeu Elias que estava insultando as Lendas da WWE. Parecia muito que Elias iria se dar mal, afinal, um Raw onde os consagrados da WWE retornam a todo momento sempre deixa vítimas, e Elias parecia ser mais uma. Mas não foi o que aconteceu, o que deixa de certa forma muitas esperanças pro futuro de Elias. Tendo um bom retrospecto nos últimos meses e tendo uma boa conexão, seja positiva ou negativa, com o público, tudo indica que após quebrar o seu violão nas costas de John Cena uma rivalidade entre ambos irá se iniciar, o que engrandecerá bastante Elias, mesmo que ele eventualmente não ganhe do John. É provável que no Royal Rumble um vai eliminar o outro. O desfecho dessa rivalidade provavelmente será no Elimination Chamber. Ou, o que é bastante provável, essa rivalidade não vai para frente e vai ficar por isso mesmo.

Single Match: Bray Wyatt (w) vs. Woken Matt Hardy - 0.50


Storytelling: 0.25
In-Ring Execution: 0.00
Match Psychology: 0.25
Timing: 0.00
Innovation: 0.00




Resultado: Para que? É essa pergunta que temos que fazer para a WWE. Para que a WWE precipitou a mudança de Personagem de Matt Hardy, se isso não iria surtir nenhuma diferença no ''Overall'' dele? Matt Hardy foi pisoteado que nem uma barata e não durou dois minutos com Bray Wyatt. Tudo bem que de forma alguma eu iria querer que Bray Wyatt perdesse para Matt Hardy nesse momento. Mas poderia ter sido uma vitória bem mais suada. Não deu tempo nem de terminar minha jantinha quando eu vi a luta.

Combate: Péssimo combate. Dois Moves para cada lado, Sister Abigail, fim. Novamente o tempo reservado para os segmentos encurtou demais os combates do Show. Não deu tempo para se desenvolver quase nada, a não ser um pequeno embate psicológico dos Personagens em ringue, algo que já era esperado.

Poker nos BackStages 




Uma sequência de segmentos distribuídos ao longo do Show que serviu para introduzir muitas lendas e criar a tensão para luta entre Apollo Crews e Titus O'Neil contra Heath Slater e Rhyno. Uma jogada interessante da WWE, com cenas bastante engraçadas explorando bem a peculiaridade dos Personagens presentes no jogo. Num jogo valendo dinheiro não podia deixar de faltar o Million Dollar Man, um dos maiores vilões e criações de Vince McMahon dos anos 90. Também não podia deixar de faltar o famoso ''Damn'' de Ron Simmons.

Tag Team Match: Apollo Crews & Titus O'Neil vs. Heath Slater & Rhyno - DUD




Resultado: Um empate por DQ de ambas as Tags após não pararem de se bater dentro do ringue. Uma saída até inteligente para poupar tempo pro Show e permitir a entrada dos Dudley Boyz. A única coisa estranha é terem colocado apenas o Heath Slater para apanhar dos Dudley. Embora seria bem nada a ver eles dois baterem em quatro, seria muito melhor terem batido no Apollo e no Titus. O mais icônico de tudo foi o Rhyno apoiando os Dudley batendo no seu parceiro. Tipo ''WTF''. Pelo menos foi um segmento engraçado.

Combate: Não tem muito o que falar. Um combate sem nota porque praticamente não teve combate.

Jason Jordan e Seth Rollins entrevistados por Christian e Interrompidos por The Bar




Jason Jordan novamente hostilizado pelo público. Eu já deixo claro que sou simpatizante de Jordan na WWE. Ele tem muito talento como Wrestler, mas foi colocado num Booking hiper irreal que o colocou como um alvo de Hate do público. E a WWE está sabendo explorar esse Hate, colocando Jason como o filho mimado de Kurt Angle. Muito melhor do que fazem com o Roman, onde simplesmente o continuam tratando como se ele fosse ovacionado quando na verdade é o contrário.

O segmento rendeu duas coisas interessantes além do trabalho de Personagem do Jordan. Primeiro, envolveu o retorno de Christian. Poderia ter sido junto com o Edge? Poderia. Seria inclusive bastante interessante, já que Rollins já ameaçou quebrar o pescoço de Edge há alguns anos atrás. Em segundo foi a interrupção de The Bar, onde provocaram uma possível cisão entre Rollins e Jordan, quando Rollins acertou uma joelhada em Jason Jordan. Se a WWE quiser explorar mais esse Hate em cima do Jordan, fazer ele brigar com Rollins será uma excelente forma de explorar ainda mais.

Homenagem para as Female Wrestlers de Sucesso da História da WWE


 

A homenagem contou com as participações de: Nikki Bella, Brie Bella, Maryse, Kelly Kelly, Lilian Garcia, Jacqueline, Torrie Wilson, Michelle McCool, Terri Runnels, Maria Kanellis e Trish Stratus. Uma homenagem meio sem sal, sem muito agregar. Elas apareceram e ponto.

Mark Henry secando a esposa de The Godfhater 




Duas aparições sem muito propósito. Basicamente, Mark Henry cumprimentou Godfhater e depois deu em cima da esposa dele sem saber que ela era a esposa dele. Godfhater levou numa boa (c**** manso) e Henry descobriu que ela era esposa dele e obviamente, ficou com tanta inveja do ''gado'' de Godfhater que não conseguia parar de olhar para ela. O que aprendemos com tudo isso? Que Mark Henry com certeza é aquele amigo que você não pode confiar pois fura teu olho na primeira oportunidade que tiver.

''Mean'' Gene Okerlund entrevista AJ Styles




''Mean'' Gene Okerlund foi um grande repórter e comentarista da época de ouro da WWF (World Wrestling Federation, a antiga WWE) e da WCW. AJ simplesmente dispensou a entrevistadora atual da WWE para ter a honra de ser entrevistado por Okerlund. O mais engraçado de tudo, é que Okerlund ao término da entrevista fez a mesma expressão que todos os entrevistadores da WWE fazem quando os Superstars terminam de responder. Um segmento minimamente interessante e agradável de se assistir, principalmente por conta da expressão facial célebre de Okerlund.

''Too Sweet'' entre Lendas e The Balor Club




D-Generation X junto de Scoot Hall entraram e fizeram suas respectivas promos. Levantaram o público e fizeram o ''Too Sweet'' junto com a Balor Club. Não teve encaixe mais perfeito que esse!

Tag Team Match: Luke Gallows & Karl Anderson vs. The Revival - DUD



Resultado: Com exceção dos combates apresentados, esse Show estava sendo ótimo. Mas não tenho como não deixar a minha indignação, não só pela forma que trataram Matt Hardy nessa noite, mas principalmente pela forma que trataram The Revival que foi simplesmente uma das melhores Tags da história do NXT. Fizeram eles perderem como se fossem completamente insignificantes diante de Karl Anderson e Luke Gallows que nunca foram Overs na WWE. Tudo bem que o tempo era curto. Mas escolheram a Tag errada para esse papel por inúmeros motivos. Primeiro, é uma Tag nova no Main Roster, e já chegar perdendo dessa forma e ainda fazerem eles serem humilhados pelas Lendas da WWE é muito desgostoso de ver. Segundo por eles serem espetaculares como Tag, muito mais que Karl Anderson e Gallows e muitas outras Tags do Roster. Poderiam muito bem ter usado outra Tag menos significante para se prestar ao ridículo. E não vou me alongar pois eu teria que escrever uma Bíblia para listar todos os motivos do porquê é um erro tremendo a WWE fazer o que fez com The Revival nesse Raw.

Combate: Muito rápido. Não deu tempo para absolutamente nada se desenvolver, minando completamente a possibilidade de ter algo positivo sobre o combate. Talvez a maior decepção e desgosto da noite, principalmente pelo resultado acompanhado de um combate absurdamente nulo e insignificante. 

Colisão Final entre Braun Strowman, Kane e Brock Lesnar




Fizeram uma boa Brawl, meio rápida demais e bem simples, com nada de inovador, mas que demonstra em partes como será o combate no Royal Rumble. O enfrentamento físico é o principal dessa rivalidade, e uma Brawl é a melhor forma de se fazer o segmento final antes do combate. A ideia de colocar os WWE Legends junto com Superstars do Roster em volta do ringue foi boa. Poderiam ter colocado eles para separar os três em um primeiro momento para alongar um pouco mais o segmento, que devido a pressa do Show, infelizmente não ocorreu.

Mais uma vez Strowman saindo por cima de Brock Lesnar num segmento, o que aumenta ainda mais as chances de vitória do Lesnar, que fatalmente perderá o título para Roman na WrestleMania 34. Não vejo outras possibilidades melhores e que façam mais sentido que essa.

Bom! Essa foi a Análise Geral de hoje. Esse foi o primeiro de muitos quadros meus aqui na House of Wrestling. Se quiser acompanhar esse e muitos outros quadros meus, acesse o Canal do YouTube Clube do Wrestling e confira lá o conteúdo. Nos vemos novamente na Análise Geral e Star Ratings do Royal Rumble!

Sobre / Contato / Publicidade / Disclaimer / Política de Privacidade / Press Release

online / Design por: Ericki Chites