HOW Star Ratings - WWE Royal Rumble 2018 - House of Wrestling - Tudo sobre Pro Wrestling

HOW Star Ratings - WWE Royal Rumble 2018

O HOW Star Ratings de hoje será a Análise do Pay Per View Royal Rumble da WWE, que aconteceu ontem, no dia 28 de Janeiro. Um PPV que não teve nenhum combate fora de série e que foi muito aquém em comparação ao Royal Rumble do ano passado. Muitos combates fracos, desestimulantes e decepcionantes. O que fica de ponto forte foi as duas Royal Rumble Matches, que foram bastante agradáveis para quem curte esse tipo de combate. Porém, esses dois combates não foram muito acima da média do que costumam ser historicamente dentro da WWE, o que não compensa a baixa qualidade desse PPV. Para mim, a WWE começou o ano com o pé esquerdo (sou esquerdofóbico) no quesito qualidade. Mas, ao mesmo tempo, a gente fica animado com o que pode vir em vista das recentes aquisições da WWE para esse ano no NXT e no Main Roster. Vamos a mais uma análise:

WWE Championship 2-on-1 Handicap Match: Kevin Owens & Sami Zayn vs. AJ Styles (c) (w) - 2.50

Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.50
Match Psychology: 0.25
Timing: 0.75
Innovation: 0.50

Imagem relacionada
Resultado: AJ Styles conseguiu reter o título, o que parecia ser muito óbvio em vista das circunstâncias do próprio combate. Com Kevin Owens lesionado e com a própria estipulação, era evidente que AJ iria reter para aumentar ainda mais a sua credibilidade como campeão. Minha repulsa por esse tipo de estipulação, num Royal Rumble, é enorme. Foi uma estipulação completamente desestimulante, que quebrou as expectativas pro combate, pois além de deixar óbvio o resultado, fez a gente perder a chance de ver uma grande apresentação no mano a mano de AJ Styles. E nem preciso dizer o quanto Sami Zayn e Owens saem descredibilizado com essa derrota. Para mim, valia muito mais um combate de Owens com ajuda do Zayn do lado de fora contra Styles do uma Handicap dos dois contra o Styles. Mas fazer o que? Nem sempre vemos o que gostaríamos de ver.

Combate: O combate ele estava se desenhando bem inicialmente. Sami Zayn e Kevin Owens a base de provocações iam desconcentrando AJ Styles do combate, mostrando de forma imatura através da troca de vez a vantagem que eles tinham com a estipulação da partida. Ambos começaram a dominar o combate, mas sem muita explicação ou sentido, AJ começou a dar a volta por cima e dominar os dois no combate. E essa dominação foi até razoavelmente bem vendida, embora ela tenha sido usada no meio do combate, o que quebrou por assim dizer, a construção de uma euforia maior do público para esse momento. Com isso a Psicologia do combate ficou por conta unicamente da venda da lesão no joelho de Kevin Owens, pois de resto, foi um combate que botava até mesmo Elefantes para dormir (se não entendeu a referência leia um livro de Biologia). A construção do combate em torno dessa superioridade de AJ foi de certa forma desnecessária, e fez com que a presença de Personagem de Owens e Zayn fosse ofuscada pelo brilho que queriam dar ao Styles do meio da luta para a frente. Pro desfecho final, organizaram bem as sequências e as executaram de maneira perfeita, embora todas as sequências finais fossem absurdamente previsíveis. Utilizaram-se de interrupções na contagem para saírem das investidas de Styles. Infelizmente, o combate acabou de maneira precipitada num Roll-Up de Styles, que ocorreu num momento totalmente aleatório quebrando assim a possibilidade de o combate se tornar ao menos algo decente de se assistir.

WWE SmackDown Tag Team Championship 2-out-3 Falls Match: Chad Gable & Shelton Benjamin vs. The Usos (c) (w) - 2.00

Storytelling: 0.00
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.00
Timing: 0.50
Innovation: 0.75

Resultado de imagem para Chad Gable & Shelton Benjamin vs. The Usos Royal Rumble
Resultado: Numa 2-out-3 Falls, é muito normal que o vencedor vença por 2 a 1. 2 a 0 já é algo mais difícil de acontecer, e tem maneiras certas de se vender esse resultado. Conseguiram fazer isso para esse combate, o que de fato tornou o resultado não tão avassalador como poderia ser pros The Usos. Com isso, a credibilidade deles para levarem esse título até a WrestleMania aumentou muito.

Combate: Tenho ressalvas em relação à dinâmica do combate e ao tempo destinado a ele. Se iriam fazer o Chad Gable e Shelton Benjamin perderem por 2 a 0, poderiam ter feito eles dominarem o combate por mais tempo, e terem feito mais Kickouts espetaculares dos The Usos. O desfecho final do combate foi bem repentino, o que vendeu bem a derrota mas desqualificou um pouco o combate. Novamente o Roll-Up sendo utilizado num momento inapropriado que minou as possibilidades do combate ter se tornado algo a mais. Além disso, a Psicologia do combate foi um desastre. Além da Crowd dormir durante toda o combate, com a execução mal feita dos apogeus da Match, introduziram praticamente nenhum elemento de embate psicológico entre eles, e os poucos embates que tiveram não surtiram efeito significativo para a gente se adentrar no contexto emocional da Match, ainda mais com esses elementos estando completamente desalinhados com a estruturação da Match, onde teve uma ausência de construção desses embates para adentrarmos nos apogeus nos ligando emocionalmente com eles. Até mesmo o Work na perna no Jimmy Uso por parte do Gable foi um erro, pois não teve nenhum sentido dentro da história e foi completamente ignorado no final da Match onde Jimmy Uso não vendeu nada bem a suposta lesão. Apesar disso, foi um combate que teve uma sequência bastante inovadora que garantiu um pouco de imprevisibilidade de quais eventos poderiam ocorrer na Match, que em meio a uma boa execução dos movimentos, garantiram a instituição de seus estilos dentro do combate de forma satisfatoriamente inovadora.

Man's Royal Rumble Match: Shinsuke Nakamura (w) - 3.75

Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 1.00
Innovation: 0.50

Resultado de imagem para man royal rumble match 2018

Resultado: Existiam muitos resultados possíveis, e a imprevisibilidade do resultado desse Royal Rumble foi um marco importante. Aqui podemos destacar que não houve (enfim) nenhuma dominação de uma Stable por um grande tempo. The New Day dominaram por algum tempo, mas foram completamente arrasados por Jinder Mahal (quem diria). Inclusive, esse momento foi muito bem executado, já que garantiu mais uma mitada de Kofi Kingston, o que orquestrou um bom momento quando o mesmo eliminou Jinder Mahal. O combate também foi recheado de traições ''perdoáveis'', como Roman Reigns traindo o Seth Rollins por exemplo. O único problema é que essas traições se repetiram tanto no combate que já estava ficando muito previsível o que iria acontecer.

Em questões de retornos surpresas, foi melhor que o Royal Rumble de 2017. O que falar de Rey Mysterio retornando? Foi um retorno bastante agradável, e que tinha chances de vencer inclusive (baixas, mas tinha). Mas tendo um retorno muito bom, de resto, não teve tanta coisa de se orgulhar. No máximo algumas subidas eventuais do Adam Cole e do ''Cien'' Almas, obviamente para cobrir o buraco da alta ausência de retornos que teria o combate. Com essa ausência gigantesca, criou-se muitas expectativas pro retorno do Number 30, onde já imaginávamos que seria Ziggler. Porém, o retorno foi completamente estragado não por ele ter sido eliminado, mas pelo contexto do seu retorno na Match. Isso porque, com a alta ausência de retornos, se criou um Hype muito grande para um Bobby Lashley, Batista ou outros nomes de peso que estão fora da WWE, ou um possível debut de EC3 ou Ricochet. Como nenhuma dessas fortes especulações entraram antes, o retorno do Ziggler foi completamente ofuscado. A Crowd não se empolgou com ele, e mesmo que eu quisesse que ele vencesse, pelo contexto do Royal Rumble e do seu retorno, não fazia sentido nenhum. E para piorar e jogar todo o booking em cima dele fora, ele fez alguns Superkicks e foi rapidamente eliminado. Antes ele mesmo tivesse se eliminado para pelo menos o Booking que ele vinha recebendo ganhasse algum sentido.

Por fim, a construção do desfecho final entre Finn Balor, Roman Reigns, John Cena e Shinsuke Nakamura foi simplesmente perfeito. Escolheram os nomes certos. O único nome discutível era o Balor, pois ali ninguém acreditava muito na vitória dele. No lugar dele poderia ter sido o Dolph Ziggler ou mesmo o Rey Mysterio. Mas o Balor não era um nome ruim. Os quatro ali presentes tinham grandes chances de vencer. Roman Reigns que fatalmente será o adversário de Lesnar, John Cena que poderia enfrentar Styles, Balor que poderia enfrentar ou Styles ou o Lesnar (menos provável que seria ele) e Shinsuke Nakamura que tem uma tão aguardada Dream Match contra AJ Styles na WWE. Não deu outra, Shinsuke Nakamura se sacramentou como o grande vencedor. Colocaram o Roman Reigns novamente pro final, justamente para garantir com que o Pop de Nakamura fosse grande (não que precisasse muito já que ele foi ovacionado durante todo o Show). A vitória de Nakamura é muito discutível e de fato a construção pré-Royal Rumble dele foi péssima, não dando credibilidade suficiente dentro do Main Roster para ele vencer o grande combate. Mas, o resultado em si não chega a ser ruim, já que entre os quatro nomes finais, ele era a melhor opção para vencer, talvez disputando um pouco ali com John Cena. Vitória justa, merecida e boa!

Combate: Entre eliminações bem vendidas e eliminações mal vendias, foi um combate morno do início ao fim. O Storytelling foi muito bem construído, com bons splots de humor e de dramaticidade, com elementos das inúmeras Storylines sendo bem desenvolvidas e aplicadas na Match, no Splot de Bray Wyatt e Woken Matt Hardy, New Day e Jinder Mahal, Roman Reigns e Seth Rollins, The Miz e Roman Reigns e muitos outros muito bem desenvolvidos. Em um padrão normal de Royal Rumble, utilizaram-se da dosagem certa.

Deixaram o combate equilibrado do início ao fim, sem nenhum nome muito dominante, estando de acordo com o que o Storytelling da Match pedia, já que o Royal Rumble estava muito imprevisível em relação ao resultado. Porém, o Storytelling teve inúmeros erros de execução sem sentido, com diversas eliminações mal executadas, o que tirou de fato a perfeição do Storytelling da Match, principalmente no erro de Booking tremendo que fizeram com o Dolph Ziggler. A estruturação do combate foi até bem desenhada, principalmente da parte final, que teve uma Psicologia muito bem trabalhada, onde cada eliminação era muito bem orquestrada dando muito peso a elas, o que garantiu de certa forma um drama e uma ansiedade muito alta pelo desfecho da Match, aumentando o Pop do público consideravelmente.

Os embates de Personagens dentro desse desfecho se estabeleceu muito bem e foi muito bem compreendido pelo público, principalmente a parte em que três da velha geração, John Cena, Randy Orton e Rey Mysterio se juntaram contra três da nova geração, Finn Balor, Nakamura e Roman Reigns, o que alinhou bem o sentimento de nostalgia com o sentimento de esperança com o futuro da WWE, alinhando perfeitamente o Storytelling à Psicologia ali demonstrada. Faltou muitos Moves nesse combate também. O combate ficou muito tempo morno principalmente pelo fato de que aquela dominação inicial padrão na entrada de cada Superstar durou pouco tempo na maioria das vezes. Foi um Royal Rumble muito mais focada nos Splots, na história e na psicologia do combate do que na qualidade dos movimentos executados.

Ocorreu pouquíssimas eliminações diferenciadas, de encher os olhos pela forma inovadora que aconteceu a eliminação. A maioria das eliminações foram com um Finisher no meio do ringue para depois jogar o Superstar finalizado por cima das cordas. Essa ausência de diferenciação nas eliminações e essa ausência de movimentos mais grandiosos além de minar bastante a possibilidade da Crowd se envolver no meio do combate fez com que essa Royal Rumble Match não se diferenciasse muito do que costuma ser uma Royal Rumble Match, fazendo desse combate pouco inovador.

WWE Raw Tag Team Championship Match: The Bar (w) vs. Seth Rollins & Jason Jordan (c) - 1.75

Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.50
Match Psychology: 0.25
Timing: 0.25
Innovation: 0.25

Resultado de imagem para The Bar (w) vs. Seth Rollins & Jason Jordan Royal Rumble
Resultado: A vitória de The Bar foi bem coerente com o que vinha sendo desenvolvido nessa Storyline. Seth Rollins e Jason Jordan ganharam o título por acaso e eles exploraram o fim desse curto reinado através de tensões entre ambos, o que pode culminar num combate entre eles no Elimination Chamber.

Combate: Foi tecnicamente um combate agradável com uma boa apresentação de ambas as Tags. Mas técnica não é tudo, e o combate foi um pouco confuso em certas segmentações, quebrando picos de emoções que extrairiam boas vibrações do público. O combate também foi demasiado curto, o que fez com que não tivesse muito tempo para desenvolver algo além do habitual.

WWE Universal Championship Triple Treath Match: Brock Lesnar (c) (w) vs. Braun Strowman vs. Kane - 2.50

Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.25
Timing: 1.00
Innovation: 0.00

Resultado de imagem para Brock Lesnar (c) (w) vs. Braun Strowman vs. Kane Royal Rumble
Resultado: Brock Lesnar mais uma vez defendendo o seu título com sucesso. Essa oportunidade de disputar o Universal Championship que o Kane recebeu foi muito boa para ele, mas péssima para a Match. Ele foi o intruso insignificante do combate, onde todos sabiam que ele não venceria. Porém, a presença dele ali, praticamente como um peso morto (pelo menos fora da Kayfabe ele é definitivamente um peso morto) deu um pouco de imprevisibilidade pro combate, já que Strowman poderia fazer a contagem nele e vencer o combate sem o Lesnar sofrer Pinfall, e com isso, o Lesnar reconquistar o título no Elimination Chamber e finalmente combater contra Roman Reigns na WrestleMania. Todavia, a WWE não sentiu a necessidade de fazer isso, e eu também não senti. Por mais que Strowman mereça sim o Universal Championship, pro momento, é melhor que Lesnar siga imbatível com esse reinado até a WrestleMania.

Combate: Para mim uma decepção. Fizeram e abusaram do clichê de três gigantes se batendo no ringue. Mas abusaram de uma forma muito histriônica do que era realmente necessário. Basicamente, repetiram a fórmula dos combates anteriores do Lesnar. Signature, Finisher, Signature, Finisher, Finisher nas mesas, Signature e Finisher. O combate foi literalmente isso. E essa fórmula de apresentação já foi repetida tantas vezes que já perdeu bastante o seu efeito. Funcionou muito bem isso no SummerSlam, mas não conseguiram nem de longe empregar o ritmo enérgico daquela Match.

Women's Royal Rumble Match: Asuka (w) - 3.25

Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 0.50

Imagem relacionada
Resultado: A Match teve muitas eliminações sem nexo, como por exemplo, a Kairi Sane sendo eliminada logo no início pela Dana (quem é ela mesmo?) Broke. Seria muito proveitoso ver uma encarada de Asuka e Kairi Sane nesse Royal Rumble, mas simplesmente trataram ela como se não fosse nada. No início do combate também tiveram muitas eliminações, e isso porque a Nia Jax ainda não tinha entrado, e com certeza, quando ela entrasse ela iria limpar o ringue. Ou seja, um ringue vazio sendo ainda mais esvaziado. Com isso, foram ocorrendo muitas eliminações e não sobraram muitas Women's pro final, tendo poucas Women's realmente valorizadas.

Os retornos foi um ponto fortíssimo, mas muito pelo fato de ser a primeira Royal Rumble Match Feminina e de terem feito de 30 Women's, fazendo assim com que tivesse muito espaço para retornos e debuts. Só tem uma coisa em relação a isso que eu não entendi porque fizeram do jeito que fizeram. Colocaram a Trish Stratus para ser a última participante do Royal Rumble. Não que ela não merecesse um grande Hype, mas comparado ao que poderia ter sido a entrada da Ronda Rousey, achei um pouco broxante. Se Trish Stratus entrasse no lugar da Vickie Guerrero (que foi desnecessária a sua participação nesse combate) e a Ronda tivesse entrado em última, eu pelo menos, teria me satisfeito bastante com essa questão de retornos e debuts. Um motivo para ela ter sido descartada do Royal Rumble pode ser pelo fato de que a WWE não queria que ela perdesse a Match e que Asuka vencesse. E a vitória da Asuka, pelo menos pelos nomes que poderiam participar do Royal Rumble, estava sendo ameaçado apenas pela Trish Stratus e pela Ronda Rousey. Como a Ronda não participou e a Trish foi eliminada, só restava ela mesmo.

Agora, só nos resta especular como se formará esse quadrangular final entre Ronda Rousey, Asuka, Alexa Bliss e Charlotte. Quem vai enfrentar quem? Se eu tivesse que apostar, acredito que a Asuka irá desafiar a Charlotte e a Ronda Rousey irá desafiar a Alexa Bliss. Ou então podem tirar a Charlotte da equação, fazerem a Ronda Rousey vencer a primeira Elimination Chamber Match Feminina e enfrentar Asuka na WrestleMania. Entre outras tantas alternativas, as que mais confio que podem acontecer são essas duas, e a segunda me agrada mais, embora a primeira seja um pouco mais provável.

Combate: O combate no quesito técnico foi exatamente o que eu esperava. A execução da maioria das Female Wrestlers que participaram eram muito anti natural. Com exceção de poucas Women's, a aplicabilidade e a execução de movimentos pecou um pouco. Mas ainda assim, foi um destaque da luta pois inovaram nos movimentos e apresentaram um bom desenvolvimento em ringue do combate. Mas, o Storytelling foi pouco desenvolvido, e o pouco que foi desenvolvido foi maçante, principalmente a repetição excessiva de Splots de traições ''perdoáveis'', como a Natalya traindo a Beth Phoenix, a Sasha Banks traindo a Bayley, a Nikki Bella traindo a Brie Bella, a Trish Stratus traindo a Mickie James. Eles usaram esse recurso tantas vezes, recurso ao qual já tinha sido muito utilizado na Man's Royal Rumble Match, que perdeu absolutamente o efeito positivo na Psicologia e no Storytelling (principalmente) do combate. Foi um combate que ao menos empregou um bom ritmo, mas teve a sensação de passar rápido demais, o que afetou um pouco Timing do combate. No quesito inovação, embora as Women's tenham inovado bastante nos Moves apresentados, inovaram muito pouco na história e nos Splots dentro de ringue. Não teve muitos Splots inovadores e diferenciados um dos outros. Tínhamos a frequente sensação de que a WWE simplesmente repetia os mesmos Splots do início ao fim com nomes diferentes.

Obrigado pela leitura até aqui. Se quiser acompanhar mais conteúdos como esse, é só acessar o Canal Clube do Wrestling. Um abraço e até a próxima!

Canal

Sobre / Contato / Publicidade / Disclaimer / Política de Privacidade

online / Design por: Ericki Chites