HOW Star Ratings - NJPW 46th Anniversary Show - House of Wrestling - O melhor do Wrestling!

HOW Star Ratings - NJPW 46th Anniversary Show

Olá galerinha da House os Wrestling, aqui é o Josué Elias trazendo mais um HOW Star Ratings, na intenção de avaliar mais um Show da NJPW, que ocorreu no último dia 6 de Março desse ano, que foi o NJPW 46th Anniversary Show, um Show especial em comemoração aos 46 anos de atividade da New Japan Pro Wrestling. Então, vamos às análises dos combates:

10-Man Tag Team Match: Ren Narita, Tetsuhiro Yagi, Tomoyuki Oka, Shota Umino & Yuji Nagata vs. Jushin "Thunder" Liger, Tiger Mask IV, Hiroyoshi Tenzan, KUSHIDA & Ryusuke Taguchi (w) - 1.50


Storytelling: 0.25
In-Ring Execution: 0.25
Match Psychology: 0.50
Timing: 0.25
Innovation: 0.25


Resultado: O time de Kushida venceu e gostei da decisão de terem colocado novamente ele para finalizar uma Multi-Man Match, já que é o mínimo para valorizá-lo com ele estando fora de seu patamar habitual. Estão segurando ele no momento para dar oportunidade para outros Júnior's na Divisão Júnior. Acho poderia ao menos subi-lo, quem sabe para enfrentar Okada pelo título principal da empresa já que Okada está sem muitos adversários credíveis para vencê-lo no momento (obviamente deixando claro que Omega por enquanto está ocupado com Cody e Kota Ibushi e Naito ocupado com Jericho). Kushida seria um excelente adversário para Okada, já que Okada é o atual Ace da NJPW e Kushida o atual Ace da Divisão Júnior. Ele poderia ser colocado também para disputar eventualmente o Intercontinental ou o Never Openweight Title, logicamente na intenção de dar espaço para outros nomes dominarem a Divisão Júnior por um tempo.

Combate: Dentro da proposta foi até um pouco interessante. Mas é mais uma Multi-Man da NJPW feita para cumprir horário e encher linguiça no Show. Nada demais. Conseguiram fazer algumas sequências interessantes, como o Triple Dropkick da equipe perdedora e o desfecho final na finalização de Kushida, que teve um pouco de drama. De resto, a grande maioria dos movimentos não tiveram propósito dentro do combate, e alguns movimentos foram simplesmente sem sentido algum, como por exemplo, quando Jyushin ''Thunder'' Liger interrompeu a submissão de um dos adversários, mas não interrompeu o do outro adversário que estava ao lado fazendo a mesma submissão. Foi um combate para chorar de rir com esses defeitos.

6-Man Tag Team Match: Hirooki Goto, Tomohiro Ishii & Toru Yano (w) vs. Toa Henare, Juice Robinson & David Finlay - 2.75


Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.50
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 0.25


Resultado: Goto novamente finalizando uma 6-Man Tag Team Match, o que de certa forma é bom para ir aumentando a sua credibilidade como campeão. Aos poucos vamos descobrindo mais detalhes sobre o seu futuro desafiante, que acredito que será um dos integrantes da Tag perdedora, com uma leve vantagem pro Juice Robinson que é o mais Over com o público ali. Juice seria um excelente adversário de transição.

Combate: Por mais que a nota tenha sido baixa, foi um combate extremamente agradável de se assistir pois teve uma Psicologia bem trabalhada. Não buscaram inovar em muitos aspectos, a variação foi baixa e o combate foi curto demais poder ser melhor trabalhado. É o tipo de combate que você sabe que se tivesse mais uns 10 minutos teria sido um ótimo combate. É válido para ser assistido e dá um sentimento de ''quero mais''. Mas muito além da Psicologia, o Pacing foi bem agradável e deu a sensação de que o tempo passava rápido para a Match, com os momentos bem selecionados dentro da estruturação do combate, tudo ocorrendo no tempo certo, fazendo com que o Timing do combate fosse bem construído e utilizado, que só não foi perfeito porque ficou a sensação de que o combate poderia ter durado mais.

IWGP Junior Tag Team Championship Three-Way Match: Yoshinobu Kanemaru & Desperado defeated Champions Sho & Yoh & Hiromu Takahashi & BUSHI - 3.00

Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.50
Innovation: 0.50


Resultado: Não vou esconder a minha decepção com o resultado, por mais que eu ache que não é nenhum absurdo Roppongi 3K perder o título. Se formos pegar em questão de merecimento, Roppongi 3K merecia continuar com o título. Mas ''merecimento'' é muito relativo e nem sempre é o fator determinante para um resultado. E nesse caso com certeza não foi. Por conta disso, me decepcionei com o resultado e não vejo grandes benefícios para a New Japan nessa escolha, já que Roppongi 3K são um Draw muito maior que Kanemaru e El Desperado pro título na atualidade. Um grande reinado de Roppongi 3K era a melhor pedida pro momento. Mas pelo que eu estou entendendo, estão preferindo aumentar o número de conquistas de Sho e Yoh para estabelecerem a história deles dentro da NJPW mais rapidamente. Então não duvido nada eles estarem fazendo essa Feud entre eles e Kanemaru & El Desperado para que rapidamente eles reconquistem o título. Fora isso, não vejo muitas vantagens para essa escolha.

Combate: A construção e as ideias pro combate foram muito boas. Primeiro colocaram a Suzuki-Gun para correr por fora do combate para que assim que eles entrassem, eles incendiassem o combate, algo que deu muito certo. Mas a entrada deles foi rapidamente cortada pelo Takahashi e Bushi, algo que poderia render uma segunda entrada da Tag mais monumental, mas perderam a chance de fazer isso quando eles entraram apenas para fazer uma Slow Build. Depois disso, foram repetições de sequências Full Fast, com o Pacing oscilando em alguns momentos, uma dificuldade frequente de Sho e Yoh pela demora na aplicação de certos golpes. Kanemaru estava atrasando o combate também em momentos que estava necessitando uma velocidade maior, e com isso, o público se desconectou da Match mesmo eles tendo feito toda uma construção ideal para isso. Ou seja, ideias boas, execução imperfeita. Faltou mais Near Falls inovadoras pro combate ter se elevado de nível, mas dentro de sua proposta, conseguiram trazer algo interessante. O que ficou faltando foi uma presença maior dos personagens, que não influenciaram tanto na luta, com exceção do desfecho final, que foi muito bem bolado e executado. Obviamente que a forma como o Takahashi interagiu com o juiz foi meio bizarra e repetitiva dentro da New Japan, mas fora isso, foi um desfecho bem executado.

Single Match: SANADA (w) vs. YOSHI-HASHI - 3.25


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.50
Innovation: 0.50


Resultado: A escolha de Yoshi-Hashi para ser o adversário inicial para essa construção de Sanada pro Mid Card da NJPW foi ótima. Yoshi-Hashi não tem muita perspectiva boa para a sua posição dentro da empresa, mas ao mesmo tempo, é um adversário qualificado para esse papel de elevar talentos. Obviamente, Sanada colherá alguns frutos dessa vitória que serão importantes para provável sequência de vitórias que ele terá agora na NJPW.

Combate: O primeiro ponto a se abordar sobre o combate é que a metade inicial dele precisava realmente de um bom Slow Build. Mas o Slow Build inicial foi péssimo em muitos níveis. Estava exageradamente lento e durou muito mais tempo que o necessário e mesmo tendo funcionado para introduzir o Clímax da Match, foram quase que literalmente 10 minutos jogados fora. Era realmente muito difícil manter a concentração na Match e parecia muito que seria aquilo até o fim, pois era um Slow Build quase interminável. E tiveram alguns erros na execução de alguns movimentos e no Sell de alguns golpes, como por exemplo, quando Sanada fez o Vocal Selling antes mesmo de Hashi encaixar a submissão. Para alguém do nível dele e na posição em que ele está na NJPW, é um erro muito tosco. Mas esses erros não atrapalharam definitivamente o combate e as qualidades de ambos começaram a aparecer quando começaram a aumentar o Pacing do combate aos poucos. A qualidade do Sanada em transformar qualquer movimento nessa parte do combate em algo grandioso foi o diferencial pro Clímax ter funcionado tão bem. Eram golpes muito bem aplicados que se encaixavam dentro do contexto histórico e estrutural da Match. O clima de tensão com as submissões foi muito bem explorado para a conexão do público com os Personagens, que não tiveram um embate tão claro entre si, mas que inseriram o público na Match de uma forma avassaladora. Mas para a construção de um Clímax, é necessário um Slow Build melhor executado para que o público mantenha o interesse na Match do início ao fim.

Single Match: Taichi vs. Tetsuya Naito (w) - 4.00


Storytelling: 1.00
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 0.75


Resultado: Alguém já notou o quanto essa caracterização do Personagem do Taichi é bizarra? (foi só uma observação aleatória mesmo). A subida de Taichi para a Heavyweight Division foi interessante. Novamente a NJPW usando a estratégia de fazer um dos grandes Draws da empresa elevar alguém somente por estar lutando com ele. Vai ser uma estratégia recorrente em vista de que estão segurando Omega e Naito para a revanche deles contra Okada e segurando o próprio Okada para ter o desfecho do seu reinado em algum grande PPV da NJPW. E com isso, Taichi é mais um dessa lista dos que foram elevados em seu início no Mid Card, mesmo perdendo. 

Combate: O grande diferencial desse combate foi a história contada, que foi a de dois Heel's tentando se aproveitar de vantagens ilegais para vencer a Match. A forma como o Storytelling foi construído foi exemplar, primeiro com o ataque de Taichi levando Naito para fora do ringue e aplicando um PowerBomb nele do lado de fora. Depois com ele tentando se aproveitar da distração do juiz para acertar os países baixos de Naito. Nesse contexto, Taichi teve uma boa atuação na aplicação dos golpes, sendo extremamente ajudado pelo Sell maravilhoso de Naito. A Match rapidamente foi tomando forma e as sequências de Near Falls e Apogeus foram naturalmente aparecendo. Faltou mais drama e tempo para a Match se desenvolver ao seu nível mais alto, mas dentro do que era possível, eles tiveram uma ótima performance no ringue. O que mais me chamou a atenção foi o desfecho sensacional da Match que ficou por volta da utilização do microfone de Taichi, um elemento do Storytelling muito bem utilizado que serviu para determinar a influência das ações do Personagem e de suas escolhas e estratégias para vencer o adversário no resultado do combate, deixando o público ansioso pelo desfecho, que foi a vitória de Naito após quebrar o microfone na cabeça de Taichi e aplicar o Destiny.

IWGP Intercontinental Championship Match: Togi Makabe vs. Minoru Suzuki (c) (w) - 3.75


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 0.75


Resultado: Em nenhum momento se tinha dúvidas da vitória de Suzuki. Continuo salientando que Makabe não era o adversário ideal pro momento, mas com a falta de opções foi ele mesmo, que aos trancos e barrancos, conseguiu certo apoio do público e se equiparar (bem de longe mesmo) ao Suzuki. Acredito que o reinado do Suzuki deva se tornar essencialmente grande, pela falta de algum adversário credível, que deverá ser encontrado posteriormente, lá pro final do ano ou até mesmo pro Wrestle Kingdom 12, a não ser se quiserem colocar Zack Sabre Júnior para disputar o título com o Suzuki, mesmo temendo que ele vá para a Júnior Division. Obviamente, Suzuki deve reinar por muito tempo para depois elevar algum jovem talento da NJPW.

Combate: Não foi um grande combate e nem acredito que tenha sido essa a intenção. Não foi um combate dotado de visceralidade e foi simplista até demais, embora a simplicidade desse combate tenha sido o marco principal para ele ter sido tão bom. Abusaram de Brawl bem executado e com um Storytelling que deixava claro desde o início que Togi Makabe não teria condições de vencer Suzuki, o que fez com que o combate ficasse mais previsível quanto ao resultado, mas fez também o público vibrar com Makabe quando o mesmo conseguia equilibrar as situações. Faltou mais para esse combate ser melhor qualificado, mas facilmente ele conseguiu manter um bom ritmo, mesmo sendo sonolento em certos momentos, e manter o interesse do público. Com poucas sequências de Near Falls e algumas sequências de High Chain Wrestling fizeram o desfecho do combate ser bastante agradável, ainda que eles tenham perdido um pouco o público na finalização de Suzuki em Makabe. A aplicação dos golpes poderia ter sido melhor, principalmente por parte de Makabe que não manteve um alto nível na execução técnica de alguns moves, como o próprio Germain Suplex aplicado, que saiu sem expressão devido ao fato dele ter se desequilibrado um pouco com o peso de Suzuki. Variaram bem as sequências técnicas e inovaram nelas, só que faltou obviamente momentos mais grandiosos para aumentar a emoção da Match, que estava explorando diversas emoções apáticas como o clima de tensão inicial que foi um pouco ignorado no final do combate que do nada mudou de proposta. Não houveram muitos erros no combate que comprometessem a sua qualidade, mas faltou um desempenho melhor pro combate mudar de patamar. 

Champion vs. Champion Match: Kazuchika Okada (w) vs. Will Ospreay - 4.00


Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 1.00
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 1.00


Resultado: Evidentemente, Okada iria vencer. Isso não era dúvida de ninguém e se ocorresse o contrário seria uma catástrofe. Mas não gostei da forma como Ospreay perdeu, pois em nenhum momento da Match sentimos que ele poderia vencer. Diferente do combate com o Sanada, onde foi vendida a possibilidade dele vencer mesmo que todos soubessem que isso não aconteceria, o mesmo não foi feito com Ospreay, que saiu extremamente descredibilizado de um combate que seria perfeito para credibilizá-lo. O pior é que Ospreay é o campeão da Júnior Division, a mesma Divisão que está roubando a cena no cenário da NJPW nos últimos anos, sendo a Divisão de mais credibilidade depois da Heavyweight Division. Com essa derrota dessa forma, acaba não só o Ospreay não recebendo a valorização devida como também a Júnior Division que sai desvalorizada. Ficou evidente nesse combate que existe uma diferença enorme entre os Cruiserweight's e os Heavyweight's, uma diferença que fazia sentido a muitos anos, mas que hoje já não faz mais, e era o momento ideal de mostrar o quanto as Divisões poderiam se equilibrar e se equiparar. Diferente de Taichi, um ex-Júnior, que foi elevado por Naito, Ospreay acabou por quase ser enterrado. Obviamente que tem todo o Booking em cima da indestrutibilidade de Okada no mano a mano e muitos podem usar isso de argumento para defender a decisão tomada. Mas ainda assim, não tinha necessidade desse Booking ser forçado nessa luta em específico, num dos poucos momentos em que Júnior Wrestler's tiveram chances de enfrentar um Heavyweight num Main Event, já que contra o Cody esse booking não foi presente e nem com o Sanada. E mesmo para vender a indestrutibilidade de Okada, não é necessário bookar uma dominância no ringue para isso. Apenas a vitória, mesmo que soada, já era mais que suficiente. Okada está numa posição em que ele pode elevar muita gente e acabou de perder a oportunidade de elevar um dos melhores Wrestlers do mundo. 

Combate: O combate foi muito bem em diversos aspectos. O ritmo estava perfeito, o Clímax foi bem construído, o desenvolvimento em ringue através das etapas do combate foi bem dividido e executado e a primorosidade técnica nos movimentos de ambos foi simplesmente espetacular, mostrando que o combate facilmente tinha potencial para ser um dos melhores combates do ano devido aos excelentes Wrestlers que ali se enfrentavam. Obviamente que a diferença gritante de estilos era um obstáculo e por vezes, a exuberância dos Moves de Ospreay em seu mais famoso Flippy Shit ofuscava um pouco os movimentos de Okada, que não conseguia extrair a mesma quantidade de vibração do público que Ospreay. Por mais insano que pareça, ainda que Okada estivesse limitado ao seu Move Set atual, Ospreay que deveria ter tido a iniciativa de tentar engrandecer mais os Moves de Okada, que se não fosse a genialidade de Okada para aplicar os Moves no momento certo, os apogeus da Match seriam todos do Ospreay. Entretanto, mesmo com essa dificuldade, depois que as sequências eram neutralizadas por Okada, o combate se equilibrava e ambos conseguiam dividir suas funções de entreter o público, mesmo que, essas neutralizações tenham acontecido mais vezes do que o necessário. 

O momento inicial era mais que necessário para eles desenvolverem um Slow Build interessante para forrar o contexto do Clímax. Evidentemente que era necessário um certo domínio de Okada no meio do combate, mas que foi extenso demais, quebrando o desenvolvimento que era necessário na Match, e daí nasceu o principal defeito desse combate, que fez o resultado ser bastante previsível e os personagens se distanciarem muito um do outro dentro da Match. Ficou claro a proposta de que Ospreay não passava de um teste de Okada, que ao mesmo tempo em que respeitava Ospreay, também não o via como ameaça, fazendo Ospreay se desesperar e se irritar dentro do combate afim de mostrar que poderia vencer Okada, mesmo não ameaçando Okada em nenhum momento, já que toda tentativa ansiosa e mal planejada de finalizar a Match fez com que Ospreay sempre tivesse seu Finisher revertido. 

Entendo quem considera isso um bom Storytelling, e de certa forma, o Storytelling foi bem claro e bem executado. Mas não vejo esse Storytelling como o ideal pro contexto dessa Match, pro contexto da NJPW e pro contexto de ambos os personagens, ainda que pela lógica Ospreay não tivesse chance nenhuma de vencer. Mesmo que demonstrar que Okada esteja em outro nível completamente distinto do Ospreay seja o Storytelling mais realista, com certeza não é o mais convincente e que ajudaria de certa formar o combate ser melhor, posto que, não colocaram imprevisibilidade num combate que para a maioria das sequências funcionar era necessário imprevisibilidade. E não é imprevisibilidade no sentido de que movimentos seriam usados, como seria o desfecho de cada sequência e como os golpes gerarariam surpresa na Crowd, pois isso ao menos teve muita imprevisibilidade, visto que eles inovaram bastante nesse sentido. Mas imprevisibilidade no sentido de saber qual seria o resultado, o que acabou não gerando a sensação de que Ospreay pudesse vencer fazendo com que alguns picos de emoção (não todos) fossem quebrados. A escolha por esse Storytelling não foi necessariamente errada, mas também, não visou o melhor pro combate, e sim, o melhor para Okada se estabelecer mais ainda na NJPW. Para um Main Event de um Show da NJPW, e pelo hype que se criou pela Match, foi decepcionante e anti-climático optarem por esse Storytelling. Com certeza, pela qualidade que vimos nos movimentos, esperamos por outro combate entre eles num futuro próximo, mas dessa vez, com um Storytelling que colabore com a qualidade da Match.


Então galera, essa foi Análise de PPV de hoje. Achei o PPV bom, mas decepcionou um pouco em certos combates que eu esperava bem mais. Se gostaram da minha análise, acompanhe o meu Canal do YouTube chamado Clube do Wrestling e se inscrevam lá se gostarem do conteúdo que eu trago. No mais, é isso aí galera, até a próxima Análise!
COMENTÁRIOS

Sobre / Contato / Publicidade / Disclaimer / Política de Privacidade / Press Release

online / Design por: Ericki Chites