Last 12 #18 - Relembre o ano de Aleister Black - House of Wrestling - O melhor do Wrestling!

Last 12 #18 - Relembre o ano de Aleister Black

Olá a todos, bem-vindos a mais uma edição deste espaço. Após uma breve pausa de duas semanas, trago até vós um quadro relativo ao atual NXT Champion, Aleister Black.

Debut e primeiras rivalidades

Black se estreou no NXT no TakeOver Orlando, em abril de 2017, e a partir daí seguiu invicto nas várias lutas que realizou. No dia 21 de junho, ele enfrentou e derrotou Kassius Ohno com o seu “Black Mass” e, três semanas depois, faria o mesmo contra Bobby Fish. Kyle O’Reilly seria o próximo a tentar derrotar o holandês, porém também acabou por ser derrotado. Antes desse combate começar, quando Hideo Itami estava exigindo respeito no ringue, Black apareceu e o confrontou, acabando por acertar um “Black Mass” nele. Isso acabou levando a uma pequena brawl entre eles na semana seguinte, sendo ambos separados por alguns funcionários. Todos esses acontecimentos levaram à realização de uma match entre ambos no TakeOver Brooklyn III que acabou por ser ganha por Black.

A 20 de setembro, Aleister Black estava cortando uma promo no ringue, e acabou por ser interrompido por Velveteen Dream. Este afirmou que as tatuagens de Black serviam para esconder o medo que ele sentia. Dream continua provocando Black e acaba por sofrer um “Black Mass” na mão, o que os faz encararem-se de seguida. Uma semana depois, o holandês iria enfrentar Lio Rush, porém Rush seria atacado por Dream antes da luta começar. Black teve uma luta com Raul Mendoza e, durante ela, Dream apareceu e vestiu o seu colete. No entanto, Aleister parecia não estar interessado nisso e continuou a luta, a qual venceu. Black se sentou com as pernas cruzadas no centro do ringue e ignorou completamente Dream, o que o deixou irritado. Black lutaria mais uma vez na semana seguinte, porém a luta não começou. Dream apareceu quando o holandês entrava e o atirou fortemente contra os degraus de aço. De seguida, ele prendeu os seus braços nas cordas do ringue e começou a mandá-lo dizer o seu nome. Black se recusava e, devido a isso, Dream correu em direção das cordas para o atacar, porém Black se soltou, obrigando Dream a retirar-se. Ambos se encontraram no TakeOver War Games, proporcionando uma das mais memoráveis lutas do ano passado. Nela, eles utilizaram alguns dos momentos que definiram a rivalidade. Dream passou toda a match a tentar captar a atenção de Black. Este último conseguiu a vitória após aplicar um “Black Mass”. Quando a luta terminou, Black pegou em um microfone e disse para Dream desfrutar do seu momento, o que foi chocante, pois acabou mesmo por referir o nome do seu oponente, algo que evitou durante toda a feud.

O momento chocante onde Aleister Black acabou proferindo o nome de The Velveteen Dream
A 13 de dezembro, Black enfrentou Adam Cole com o vencedor a receber uma chance para se tornar candidato ao NXT Championship de Andrade Almas. O holandês acabou vencendo a luta e enfrentou Johnny Gargano, Lars Sullivan e Killian Dain para decidir o #1 contender ao título. No entanto, Cole apareceu e custou o combate a Black. Duas semanas depois, a Undisputed Era iria lutar contra a SAnitY, porém atacaram eles nos bastidores antes da luta começar. A UE ainda foi até ao ringue zoar deles, mas Aleister Black e Roderick Strong apareceram e substituiram a SAnitY na luta. Apesar disso, a UE acabou vencendo e retendo os NXT Tag Team Titles. Essa derrota ocorreu porque Adam Cole apareceu e Black foi atrás dele nos bastidores. Todos esses acontecimentos levaram a uma Extreme Rules Match no TakeOver Philadelphia. Fish e O’Reilly tentaram interferir, mas a SAnitY apareceu para os controlar. A match foi muito bem construída e teve alguns bons spots. Após aplicar um “Black Mass”, Black conseguiu vencê-la.

Reinado como NXT Champion

Algumas semanas depois, Aleister Black retornou ao NXT e realizou uma curta promo, porém foi interrompido por Killian Dain. Ambos os homens estavam com um objetivo em mente, conquistar o NXT Championship e, por isso, se confrontaram. Um novo frente a frente aconteceu duas semanas depois, mas desta vez não terminou de forma pacífica. Black tentou acertar um “Black Mass”, porém Dain se desviou e aplicou um “Crossbody”. Black derrotou Dain na semana seguinte e conquistou uma chance de lutar contra Andrade Almas pelo cinturão mais prestigiado da brand amarela. O holandês e Almas iriam ter uma assinatura de contrato, porém o mexicano não apareceu, deixando Zelina Vega com a tarefa de ir lá por ele. Após uma troca de insultos, Vega deu uma tapa a Black, o que fez com que Candice LeRae aparecesse e a atacasse. Na semana anterior ao TakeOver New Orleans, Almas atacou violentamente Black quando este chegava na arena, terminando com algumas cadeiradas em suas costas. Os dois protagonizaram um bom combate no PPV e Black alcançou a vitória após aplicar o seu finalizador de modo a se manter invicto em Pay-Per-Views e conquistar o título.

Black iria enfrentar Gargano no dia 25 de abril valendo o seu cinturão, porém a luta nunca começou. Gargano seria atacado brutalmente pelo seu arqui-rival Tommaso Ciampa. O NXT Champion estava irritado e queria lutar com Ciampa, mas foi Eric Young que apareceu e o desafiou. Black alcançou a vitória sem grandes problemas com o seu “Black Mass”. A 30 de maio, Black foi até ao ringue dizer que esteve algum tempo fora de ação e, que isso só aconteceu porque não há ninguém que o possa derrotar. Lars Sullivan apareceu e o confrontou, dizendo que ele o conseguiria vencer. William Regal acabou por confirmando uma luta entre os dois, pelo cinturão, no TakeOver Chicago II e Sullivan atacou Black após o anúncio. Eles tiveram um último confronto duas semanas depois. Black foi primeiro até ao ringue, onde realizou uma promo, mas Lars acabou aparecendo e o atacou com dois “Freaking Accidents” e um “Slam” em cima da mesa de comentaristas. No sábado da semana passada, eles se enfrentaram em Chicago. Em uma luta razoável (e com um grande botch no final), Black conseguiu a vitória com o seu finalizador para se manter NXT Champion.

Instante final da luta contra Lars Sullivan no TakeOver: Chicago II
Considerações finais

Podemos dizer que Aleister Black teve um ano bastante positivo, especialmente porque foi o seu primeiro na WWE. Teve um número considerável de lutas avaliadas em 4 ou mais estrelas, o que é excelente, ainda por cima para alguém que não é nem de perto um dos melhores performers do NXT, mas, que com o adversário certo, consegue fazer boas matches.

Assim encerro a décima oitava edição deste quadro. Não se esqueçam de deixar os vossos votos nos comentários. Espero que tenham gostado e que tenham uma boa semana.

Sobre / Contato / Publicidade / Disclaimer / Política de Privacidade / Press Release

online / Design por: Ericki Chites