HOW Star Ratings - WWE NXT TakeOver: Brooklyn IV - House of Wrestling - Tudo sobre WWE e Wrestling em geral!

HOW Star Ratings - WWE NXT TakeOver: Brooklyn IV

Olá galerinha da House of Wrestling, aqui quem escreve para vocês é Josué Elias, colunista da HOW, trazendo mais um HOW Star Ratings, e dessa vez analisando e avaliando os combates que aconteceram no NXT TakeOver: Brooklyn IV que ocorreu no último Sábado, dia 18 de Agosto. Então, sem mais enrolações, vamos às análises:

NXT Tag Team Championship Match: Undisputed Era (Roderick Strong & Kyle O'Reilly) (c) (w) vs. Moustache Mountain (Trent Seven & Tyler Bate) - 4.50


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 1.00
Match Psychology: 1.00
Timing: 0.75
Innovation: 1.00


Resultado: Obviamente que o resultado natural era a manutenção do título com a Undisputed Era, se considerarmos as recentes trocas que houveram. Moustache Mountain conquistaram o título no United Kingdom Tournament para acrescentar a conquista ao cartel de Tyler Bate e Trent Seven, e evidentemente, aumentar a marca da Undisputed Era que agora tem dois NTX Tag Team Championship no currículo. A Undisputed Era tem mais peso e credibilidade para carregar o cinturão e pode carregar melhor as rivalidades que estão por vim com o War Raiders, que o atacaram depois do combate.

Combate: O combate em si foi mais uma vez surpreendente, pois se trata de nada mais nada menos que quatro grandes Wrestlers em ringue que fizeram chover dentro dele. O combate que até os 10 minutos iniciais era bem morno, foi se apimentando de maneira explosiva depois da entrada definitiva de Trent Seven para fazer o Save do Tyler Bate. A partir daí, o ritmo se acelerou de forma extraordinária e ideal para transmitir a adrenalina necessária pro público, que comprou a ideia de todos os movimentos. É preciso destacar que Tyler Bate inovou em seus movimentos de tal maneira que o público foi ao delírio. Roderick Strong aplicava os golpes tão precisamente, com sellings perfeitos de Bate, que parecia que seus Lariats arrancavam as cabeças de seus adversários. Literalmente uma obra prima, que infelizmente não foi melhor pois demorou um pouco demais pro combate entrar num ritmo envolvente, além do fato de que, ambas as Tags não tiveram um enfrentamento não físico tão bem trabalhado para dar ainda mais emoção ao combate.

Single Match: Velveteen Dream (w) vs. EC3 - 3.00


Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.50
Timing: 0.50
Innovation: 0.75


Resultado: Para mim me pareceu um resultado estranho. Não que seja um crime apostar num resultado em que poucos acreditavam que iriam acontecer, mas pelo fato dele ter sido realmente desnecessário. Primeiro ponto, EC3 demorou mais de dois meses para estrear solo no PPV do NXT, e quando finalmente há a sua estreia ele perde? Debutantes solos em PPV's raramente perdem e geralmente quando perdem são de pouco quilate. Meu medo é que eles estejam tratando EC3 exatamente assim: Como um Wrestler de baixo quilate. É algo para manter o olho aberto, mas também não é o fim do mundo pro EC3. Que o Velveteen precisa de mais vitórias todo mundo sabe, e essa vitória é bastante expressiva pro mesmo. Mas ela atrasa bastante o processo de construção do EC3. Será que EC3 vai ser mais um Kassius Ohno? Eu não me espantaria com isso!

Combate: Tecnicamente muito fraco. Nós sabemos que EC3 não é nenhum grande Wrestler comparado com os diversos talentos que temos no cenário mundial. Muitos acham que o Velveteen é um ''grande'' Wrestler, mas ele já tem demonstrado dificuldade de levar Wrestlers piores que ele a uma luta para outro patamar. E pelo tempo dado, dava para fazer uma luta verdadeiramente boa. E não houve grandes furos em relação às escolhas dos movimentos. Mas a atuação e a execução técnica dos mesmos, não ajudou eles a erguerem o público, que permaneceu mais apático nessa luta do que a luta feminina que teve mais tarte. A rivalidade entre ambos não foi tão bem construída e isso pode ter atrapalhado o desenvolvimento da história deles no ringue. Não tinha uma linha histórica objetiva bem traçada para dar um rumo à Match, porém, eles poderiam ter criado isso ali no ringue e não conseguiram passar nenhuma ideia pro público sobre o que estava em jogo no combate. Acabou que o público não se importou com o combate, merecidamente.

NXT North American Championship Match: Adam Cole (c) vs. Ricochet (w) - 4.25


Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 1.00
Match Psychology: 1.00
Timing: 0.75
Innovation: 1.00


Resultado: Ricochet ganhou o North American Championship! Eu basicamente não sei se os fãs gostaram do acontecido. Por um lado, Ricochet ganhar agora soa meio apressado demais, apesar dele já estar bastante consolidado com o público, porém, menos que o Adam Cole, diga-se de passagem. Por conta disso, apostar na retenção do Adam era o caminho mais seguro, pois poderia-se queimar o Ricochet muito rápido no NXT. Por outro lado, não foi o que aconteceu. O público foi receptivo, e a aposta no Ricochet até o momento funcionou em vista do Pop absurdo que ele teve. Além disso, com a ausência do North American Championship nos seus braços, Adam Cole está liberado para focar mais nas rivalidades que envolvem sua Stable, com ele ainda tendo um título de Tags para defender, e ainda, libera ele para aspirações mais grandes, como disputar o NXT Championship. Vejamos como as coisas vão prosseguir daqui para frente.

Combate: Sensacional! É uma palavra que resume bem o que esses dois Wrestlers são capazes de proporcionar. Com um crescimento agradável e bem construído, o combate chegou a um nível absurdo de execução, onde ele só tendia a crescer. Tudo que até então havia sendo feito era perfeito. Um início mais lento, com Adam Cole dominando e dizendo que Ricochet não era especial, com respostas curtas de Ricochet e neutralizações rápidas e efetivas de Adam. Evidentemente que o combate foi crescendo junto com o crescimento do Babyface da partida, chamando o público a gritar com seus movimentos acrobáticos. Desde então, um enfrentamento eletrizante se iniciou, com reversões, neutralizações, quedas e respostas rápidas aos movimentos um do outro, executando sequências inovadoras de encher os olhos e forrando o clima ideal pro Clímax, que foi bem encaixado. O problema foi que, num combate que ia tão bem, acabou deixando um gostinho de ''quero mais'' em vez de um gostinho de satisfação total com o que fora apresentado. Com um pouquinho mais de atenção ao combate e enrobustecimento do Adam, poderíamos ter algo realmente especial. Adam ficou mais a parte e interviu em momentos cirúrgicos, como por exemplo, o Super Kick em resposta ao Moonsault de Ricochet usado como transição de etapa. Mais intervenções grandiosas poderia ter ocorrido para que o combate demonstrasse um maior equilíbrio, bem como, o Adam demonstrar uma resistência maior, como por exemplo, poder ter revertido o 630 Senton do Ricochet pro combate perdurar por mais tempo, ou até mesmo ter dado kickout. Creio eu que com um equilíbrio maior, seria mais interessante pro Storytelling da partida além de elevar o combate para outro patamar.

NXT Women's Championship Match: Shayna Baszler (c) vs. Kairi Sane (w) - 3.75


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 0.75



Resultado: Kairi Sane já havia vencido a Shayna no Mae Young Classic, e por esse motivo, uma vitória da Shayna agora não seria nenhum absurdo para ela manter sua dominância na divisão. Mas tem o fato de que essa divisão precisa de uma rotação maior no cinturão feminino nessa era pós-Asuka. Kairi vencer é uma boa aposta, e assim como no caso do Ricochet, era arriscada e parecia apressada pro momento, mas que acabou dando certo.

Combate: Dava para ver o sangue ''imaginário'' das duas lutadoras no ringue. Uma entrega para fazer a apresentação ser convincente e realista, algo que é especialidade da Kairi Sane, que ela herdou da escola japonesa de Wrestling. O sofrimento e a dor que ambas sofriam a cada chave e submissão era nítido e bem atuado, com um teor de fisicalidade acima do normal dando um ar a mais de rivalidade, que entendida pelo público, apoiou Kairi Sane numa jornada que até então parecia muito difícil, mesmo que ela já tivesse conseguido antes. Não era a mesma Shayna do Mae Young Classic que não passava de uma iniciante que havia conquistado a vaga na final por mera agressividade, mas sim, uma Shayna madura que estabelecia uma estratégia e uma cautela maior para lidar com a Kairi. Com isso, Kairi tinha que ser mais incisiva em seus movimentos e não cair no joguinho da adversária. O equilíbrio foi a regra do embate, com a Kairi novamente mostrando destreza para fugir dos enquadramentos da Shayna, fazendo-se repetir sua superioridade a base da raça e da força de vontade que havia tido no Mae.

NXT Championship Last Man Standing Match: Tomasso Ciampa (c) (w) vs. Johnny Gargano - 4.50 


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 1.00
Match Psychology: 1.00
Timing: 1.00
Innovation: 0.75



Resultado: Outro resultado estranho. Mas antes de chegar no resultado, preciso falar da rivalidade em si. Acredito que antecipar esse combate pelo título foi cedo demais. Parecia que eles queriam transformar Ciampa contra Gargano num Flair contra Steamboat numa trilogia que ficasse para a história. Ficou, mas não ao nível de Flair e Steamboat obviamente. O problema é que essa receita de fazer três combates seguidos em um curto período de tempo raramente funciona, ainda mais quando os dois primeiros combates não estão envolvendo nenhum título. Tudo pareceu muito arranjado às pressas para que isso acontecesse enquanto seria muito melhor que isso fosse arranjado com calma preparando um cenário melhor. A Three-Way Match com o Aleister Black parecia-me muito melhor pro momento do que o que foi feito, pois já entregava logo a revanche pro Aleister e poderia-se fazer o Ciampa se encorpar como campeão para daqui dois ou três PPV's os dois, Johnny e Ciampa, se enfrentarem novamente. Acabou que a ideia do combate (em ser uma Last Man Standing) o tornou excessivamente repetitivo e enjoativo, com uma sensação de que foi arranjado às pressas. Não se faz um desfecho de uma trilogia assim, ainda mais com uma vitória do Ciampa.

Maaaaas, por outra perspectiva, o fato de Ciampa vencer esse combate e ele ter passado essa impressão de que foi arranjado às pressas, talvez o Ciampa se encorpe mais com o cinturão para que um quarto combate ocorra como desfecho da rivalidade. O que eu acho disso? É melhor do que terminar como terminou nesse combate, porém, eu preferia mil vezes que a rivalidade se encerrasse com uma trilogia do que com quatro combates, pois as chances do combate final ser melhor é muito maior por não haver uma sensação de repetição tão grande, exigindo que os dois inovem mais do que inovaram até aqui para chamar a atenção do público. Veremos como as coisas irão decorrer daqui para frente!

Combate: Dessa vez, numa análise crítica comparativa, o combate não encheu tantos olhos como os dois primeiros que foram fantásticos, isso porque, o clima para ele não era o ideal. Foram muitas vezes os mesmos movimentos em ordens diferentes que por estarem ''manjados'', o público não interagiu tanto como nas primeiras vezes. A estipulação não ajudou também, pois foi mais uma Spotfest com utilização de objetos. Até mesmo Spots repetidos aconteceram, como tirar a lona do ringue, quebrar a mesa do lado de fora com o mesmo movimento que nas outras lutas. Tudo ficou até mesmo previsível, salvo momentos em que realmente conseguiram inovar.

Fora esses problemas de ''contexto'', tudo funcionou no combate, desde a execução técnica dos movimentos, a estruturação das sequências, a construção da história, a interação dos personagens, a carga emotiva na história contada até a inovação em novas sequências. Momentos épicos aconteceram, como quando o Ciampa jogou o funcionário e mais um monte de coisas em cima do Gargano para ele não levantar, como os três PowerBombs seguidos e os spots memoráveis. O final do combate foi um pouco tosco, apesar de que a explicação de que o Gargano não conseguiu pensar direito pelo ódio que ele estava tomado seja razoável e até coerente com a história. Um grande combate numa grande rivalidade, com dois grandes Wrestlers, não poderia dar outra coisa.




Então galera, esse foi o HOW Star Ratings de hoje. Deixem suas opiniões e avaliações nos comentários, não deixem de interagir e de compartilhar essa análise com seus amigos! Nos vemos na análise do SummerSlam...

Sobre / Contato / Publicidade / Disclaimer / Política de Privacidade / Press Release

online / Design por: Ericki Chites