HOW Star Ratings - WWE SummerSlam 2018

HOW Star Ratings - WWE SummerSlam 2018

Olá galerinha da House of Wrestling, aqui quem escreve para vocês é Josué Elias, colunista da HOW, trazendo mais um HOW Star Ratings, e dessa vez analisando e avaliando os combates que aconteceram no WWE SummerSlam 2018 que ocorreu no último Domingo, dia 18 de Agosto. Então, sem mais enrolações, vamos às análises:

WWE Intercontinental Championship Match: Dolph Ziggler (c) vs. Seth Rollins (w) - 4.25


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 1.00
Innovation: 1.00



Resultado: Seth Rollins conquistou o Intercontinental Championship. Eu juro por Deus que eu pensei que após isso acontecer, o Dean Ambrose atacaria o Seth Rollins. Mas não foi isso que aconteceu, e a amizade ainda continua. O resultado foi bom a medida em que não dava pro Dolph Ziggler segurar o Intercontinental com tantos nomes bons no Raw precisando dele, como Balor, Corbin, o próprio Drew, Seth, Ambrose, e etc. O Seth não era o nome ideal pro momento. Acredito que já passou da hora do Finn Balor ter a sua chance. Mas, Seth também não é um nome ruim, e o mesmo vai aumentando o seu currículo, continuando o projeto da WWE de fazer todos os nome

Combate: Novamente Seth Rollins protagonizou o melhor combate de um PPV do Main Roster neste ano. Não que as suas atuações tenham sido tão brilhantes, mesmo sendo muito boas. Mas sim, por evidentemente ele não ter tido concorrência a altura nos últimos meses. Desde que Rollins foi para a rota do título Intercontinental, a WWE tem dado mais tempo pros combates do Intercontinental, para dar provavelmente esse tom de superioridade quando alguém do The Shield luta por um título. E Seth Rollins administra muito bem o tempo de suas lutas. Contra o Ziggler, o combate foi maçante na parte inicial, já que seu adversário brecava bastante a fluidez da Match. Quando os principais movimentos de cada um começaram a aparecer, não impactaram tanto o público. Os envolvimentos de Ambrose e McIntyre ajudaram o público a se manter ativo e prestando atenção nas possíveis interferências que poderiam acontecer. A partir daí, deram mais ânimo aos movimentos, aumentaram o pacing, e executaram sequências primorosas com belos spots. O DDT do Ziggler no apron do ringue foi o ponto de partida de toda essa ebulição que ocorreu do meio pro fim do combate. O grande apogeu do combate veio, com muita inovação de Seth Rollins, que aplicou um Superplex Invertido seguido de outro Suplex invertido. Houve até kickout do Zig Zag do Ziggler para aumentar o desespero do público, terminando com o clichê básico do Ambrose aplicar o Dirty Deeds no McIntyre fora do ringue e Seth Rollins fechar o combate levando o público à loucura.

WWE SmackDown Tag Team Championship: The Bludgeon Brothers (c) vs. The New Day (w/ DQ) - 2.50


Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.50
Match Psychology: 0.50
Timing: 0.50
Innovation: 0.50


Resultado: Aquele resultado padrão, clichê e ultrapassado da WWE como mecanismo de extensão de uma rivalidade. O famoso mecanismo de enredo onde os Heels se irritam, atacam os Babyfaces com objetos, e mantém o seu cinturão. Não vou nem falar o quanto isso já não funciona mais, o quanto é brega, broxante e chato. Prefiro dizer que, na falta de criatividade para construir um enredo um pouco mais elaborado e atraente, preferem fazer o convencional, o simples e o clichê.

Combate: Ia bem. Estavam num ritmo agradável, com execuções naturais, com exceção do próprio Rowan, onde quase nunca na vida ele consegue aplicar e vender seus golpes de forma natural. Mas infelizmente, o combate acabou antes do que era para ter acabado, de um jeito ao qual vocês sabem bem como foi...

Money in the Bank Contract Single Match: Braun Strowman (w) vs. Kevin Owens - 0.50


Storytelling: 0.00
In-Ring Execution: 0.25
Match Psychology: 0.25
Timing: 0.00
Innovation: 0.00


Resultado: Se não era nem para colocar uma dúvida em nossas cabeças de quem sairia com pasta, para quê ter esse combate? Combate desnecessário, onde a promo dele durou mais do que o próprio combate em si (sem brincadeira). É famoso combate ''ladrão de tempo'', pois roubou preciosos 15 minutos (promo + entradas + combate + saída) que poderiam ter se encaixado muito bem em outros combates. Mas não, vamos enxurrar o SummerSlam de combates insignificantes só pros Superstars poderem aparecer para brincarem de Wrestling. Nossa, que divertido!

Combate: Fui colocar meus nuggets no microondas e quando voltei já tinha acabado o combate e acabei dando uma nota aleatória
.
.
.
Mentira, eu voltei, assisti ao combate e me arrependi de ter visto!

WWE SmackDown Women's Championship Triple Treath Match: Carmella (c) vs. Charlotte Flair (w) vs. Becky Lynch - 3.25


Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.50
Timing: 0.75
Innovation: 0.75



Resultado: Eu sei que muitos gostam da Becky e da Charlotte. Mas esse combate não me inspirava nenhum sentimento bom, unicamente pelo fato da Carmella estar no meio dele. Eu sei que a Carmella é uma Heel, e que o papel fundamental dela é arrancar hate do público. O problema é que ela é mais uma daquelas Heels que n]ao acrescentam nada de novo, e está ali SÓ para isso mesmo. Para você ficar morrendo de raiva da WWE. Eu entendo que você possa gostar da Carmella (provavelmente você tem problemas psiquiátricos), mas até mesmo para quem gosta dela tem que admitir que a princípio de conversa, ela está no lugar errado, impedindo o que podíamos ter de melhor, que é a Becky campã, a Asuka, a Charlotte, a Naomi. Ainda bem que a Charlotte tirou o título dela, mesmo não sendo de um jeito ideal, pois pouco importa o jeito que a Carmella perdeu. O que importa mesmo é que ELA PERDEU!

Combate: Combate forte pro que comumente vemos das mulheres, mas também, um combate fraco pro que poderia ter sido. Foi mais do que eu esperei. Reservaram um bom tempo, e deram liberdade para a Becky e a Charlotte fazer o que elas tinham de melhor no arsenal delas. A Carmella também foi bem no combate, pois ficou fora de ação boa parte do tempo e nos privou de ter que ouvir sucessivas vezes a sua voz irritante. Brincadeiras a parte, ela até que aplicou movimentos legais também. Entretanto, o combate não passou disso. Foi um emaranhado de movimentos legais sem propósito ou uma ordem que fizesse sentido. No início, a Carmella fez o papel de por a Charlotte e a Becky uma contra outra, mas infelizmente isso não foi explorado pro desfecho do combate. O que podia ter sido uma linha histórica interessante, foi apenas uma estratégia para deixar o clima do combate mais tenso.

WWE World Championship Match: AJ Styles (c) vs. Samoa Joe (w/ DQ) - 3.75


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 1.00
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 0.50


Resultado: AJ Styles manteve o título, e ao contrário do que muitos pensam que eu vou dizer, sim, eu gostei da forma como o combate terminou, porque houve um diferencial gigantesco em relação à luta de Tags do SmackDown. Primeiro, foi o Babyface que atacou ilicitamente o Heel. Segundo, o ataque foi após uma provocação de Samoa Joe que deixaria qualquer pai irritado. Ele simplesmente chegou e falou que seria o novo pai da filha de AJ Styles. Isso foi tão bem feito e deixou o clima tão pesado, que o desejo de sangue do AJ era nosso desejo também, e nada melhor do que partir para cadeiradas num gordo do mal desse. Eu gostei da forma como terminou, foi um excelente jeito de estenderem e botar mais fogo ainda nessa rivalidade.

Combate: É óbvio que o final sacrificou um pouquinho a qualidade do combate. O que não significa que ele foi ruim ou que o combate foi ruim. Fizeram uma boa Match até ali, com diversas revira-voltas eletrizantes e sequências chaves para agigantar o combate. O Pelé Kick do AJ seguido do STJoe do Samoa Joe, foi o momento mais memorável, que exemplificou bem o grau de psicologia que o combate chegou, terminando de uma maneira que mexeu ainda mais com as emoções dos personagens envolvidos, dando um clima a mais para a história, e as emoções do próprio público.

Single Match: The Miz (w) vs. Daniel Bryan - 3.25


Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.75
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.75
Innovation: 0.50


Resultado: Eu discordo demais desse resultado, por três motivos principais: Um, o Daniel Bryan tem muito mais nome, moral, credibilidade e overall especulativo que o The Miz. Dois, a forma como o Miz derrotou o Bryan me pareceu muito pouco para ser suficiente, mesmo o Bryan já tendo levado um Finisher alguns minutos antes. Três, me parecia melhor que o Daniel Bryan tivesse uma sequência de vitórias para poder brigar por coisas maiores. Ao que parece, a WWE quer estender essa rivalidade, pelo menos até o próximo PPV, que culminaria na vitória de Daniel Bryan. A vitória dá uma boa moral pro The Miz, mas atrasa um pouco o processo de reformulação do Daniel Bryan. Eu esperava que o Bryan voltasse com mais credibilidade para se tornar logo de cara um Top Guy do SmackDown, para concorrer com AJ pelo posto. Mas a WWE por enquanto parece mais cautelosa, o que pode gerar coisas ruins para a empresa, pois, SmackDown está com muitos Heels e poucos Top Guys, e além disso, o futuro de Bryan na empresa é incerto. Um jeito de garantir a sua permanência seria entregar um booking mais grandioso para ele. Só que, mesmo com a derrota, Daniel Bryan ainda tem chances de rapidamente voltar a ser ''grandioso''.

Combate: Foi muito bem estruturado, desde o Storytelling, no que compete ao embate de Taunts e Moves que o Miz copiou do Daniel Bryan nos últimos anos, e também a motivação dos golpes em suas respectivas ordens. Conseguiram dar um significado pesado para cada golpe, que pareciam de fato influenciar no destino da Match. Daniel Bryan tentava apostar num jogo de pernas com seus chutes para minar a resistência de Miz, enquanto Miz usava de seus Dirty Wrestling combinado com seus principais golpes, inclusive os que havia copiado. Foi importante terem feito esse embate de Moves iguais logo no início, para favorecer um contexto de imprevisibilidade maior no final, além de fazer a ideia do combate ser compreendida pelo público rapidamente para mantê-lo aceso a cada movimento. Não fosse um final não tão agradável, teria sido certamente um grande combate.

Single Match: Finn ''Demon'' Balor (w) vs. Baron Corbin - 0.75


Storytelling: 0.00
In-Ring Execution: 0.25
Match Psychology: 0.50
Timing: 0.00
Innovation: 0.00


Resultado: Outro combate abaixo 1.0 Stars e outro combate desnecessário. Gastaram o retorno do Demon Balor para isso. Inacreditável!

Combate: Só não foi DUD porque a sequência de movimentos do Balor foi muito boa, a ponto de levantar o público.

WWE United States Championship Match: Shinsuke Nakamura (c) (w) vs. Jeff Hardy - 2.50


Storytelling: 0.50
In-Ring Execution: 0.50
Match Psychology: 0.50
Timing: 0.25
Innovation: 0.75


Resultado: Era o melhor resultado. Nunca concordei com o fato do Jeff reconquistar o título americano, mas já havia cantado a pedra de que, ele seria usado para ''upar'' um novo talento da WWE, e de forma rápida inclusive. Não deu outra. Shinsuke Nakamura, o atual vencedor do Royal Rumble Match venceu o Jeff Hardy e conquistou seu primeiro título no Main Roster, e agora manteve ele. Espero que o Shinsuke mantenha por mais alguns PPV's, para segurá-lo pro momento certo, para depois conquistar o título mundial. 

Combate: Teve momentos bons, pois ninguém vai discordar que é brega ou chato ver um Swanton Bomb no Apron no ringue. Não me lembro de ter visto isso alguma vez na minha vida. Mas fora isso, o combate não teve nada de muito especial. Poucos movimentos apresentados, uma lentidão para aplicar os golpes que fazia do combate uma eternidade que não acabava mais. Sinceramente, não estava dando gosto de ver, mesmo sendo dois grandes Wrestlers em ringue. Não pareciam ter vontade de fazer uma grande luta, e não sei até que ponto tem dedo do overbooking na WWE nisso. Mesmo assim, o início do combate foi bastante divertido, já que o Nakamura é um verdadeiro Entertainer quando se trata de Taunts. Jeff Hardy não fica tão atrás no quesito.

WWE Raw Women's Championship Match: Alexa Bliss (c) vs. Ronda Rousey (w) - 0.25


Storytelling: 0.25
In-Ring Execution: 0.00
Match Psychology: 0.00
Timing: 0.00
Innovation: 0.00


Resultado: Eu podia dizer que é um desrespeito com o público e com a Alexa fazer o combate ser do jeito que foi. Mas não vou dizer, porque apesar de tudo, já era esperado que algo do tipo aconteceria. Não é o ideal que a WWE faça bookings de Wrestlers com forças absurdamente distantes. Isso é uma tradição da WWE que já deveria ter sido largada a tempos, para que todos os Wrestlers sejam no mínimo valorizados, pois qualquer um com mais ''nome'' consegue vencer um Wrestler da WWE bem enrobustecido (como a Alexa por exemplo) com conquistas e credibilidade, parecendo que está enfrentando uma criança de 11 anos de tão fácil que é. Então, por mais que fosse coerente com as tradições da WWE e com o que era apresentado nessa rivalidade até então, nessa tentativa artificial de fortalecer a Ronda, não vou me conformar com combates do tipo em pleno 2018. 

Combate: Pior combate da noite. Foi divertido? Até que foi um pouco. Por isso o 0.25 de Storytelling aí, que resume bem o que foi todos os outros âmbitos. É óbvio que teve um pouco de inovação, psicologia, execução em ringue. Mas não foi apresentado nada relevante nesses aspectos, ou seja, muito pouco para que nesses critérios eu desse alguma nota. Poderia ter deixado o combate sem nota alguma, mas preciso reconhecer que pela coerência, fazia sentido que a Ronda vencesse a Alexa da forma como aconteceu, e que a atuação de ambas no que tange os personagens foi perfeitamente executada. 

WWE Universal Championship Match: Brock Lesnar (c) vs. Roman Reigns (w) - 3.00


Storytelling: 0.75
In-Ring Execution: 0.50
Match Psychology: 0.75
Timing: 0.50
Innovation: 0.50


Resultado: Chegamos ao Main Event do SummerSlam. Sobre o resultado, preciso comentar um monte de coisa:

Primeiro opção, se fosse para escolher apenas entre Roman e Brock Lesnar para vencer o combate, eu definitivamente escolheria o Roman. Não dá mais para ficar vendo o Universal de dois em dois meses. Lesnar já quebrou o recorde do CM Punk, então adeus! Roman Reigns seria a representação clara do que há de mais credível formado pela própria WWE nos últimos anos para carregar o cinturão.

Segundo opção, por mais que Lesnar tivesse que perder o título, há de se considerar que esse SummerSlam não teve a grandiosidade suficiente em sua confecção para ser palco do encerramento de um reinado lendário como foi esse do Brock Lesnar. E Lesnar levar o cinturão da WWE pro UFC seria uma das coisas mais épicas e históricas do esporte. Além de ser uma excelente jogada de Marketing e propaganda da própria empresa, poderia-se deixar o Lesnar perder o título somente no Royal Rumble. É fato que teríamos que aguentar ainda mais tempo meses sem ver o Universal Championship. Mas cai entre nós: A gente como fã já se acostumou, então, em termos de Marketing, a WWE não fez a melhor escolha.

Terceiro opção, havia uma escolha melhor do que dar o título ao Roman Reigns ou manter o título com Brock Lesnar, que era o Cash-In. ''Ah, mas aí o Roman ficaria mais tempo sem conquistar um mundial'' Ok, ok, então desse o Universal e depois aplicava o Cash-In, pois pelo menos o título iria pro currículo do Roman, e depois pro currículo do Braun, o que poderia render uma ótima rivalidade entre ambos pra WrestleMania. ''Ah, mas como você disse, pro Marketing não seria tão interessante, então deixasse com o Brock Lesnar'' Entre ter uma rivalidade fantástica entre Strowman e Roman, com Strowman levando o título até a WrestleMania e o Brock levar o título pro UFC, eu prefiro a rivalidade. Mas cada um com suas preferências!

A primeira opção foi a escolhida pela WWE. Ela é interessante, pois poderemos ver o cinturão circular pelo Raw novamente e com o principal nome da empresa nos últimos anos. Provavelmente, a WWE irá optar por uma troca rápida de cinturão, mesmo que, seja a hora ideal pro Roman pela primeira vez levar um título até a WrestleMania. Por mais que seja, acho que a WWE vai segurar mais ainda esse feito do Roman, para dar esse feito ao Strowman. Ainda tem a possibilidade de The Rock entrar nessa ciranda. Veremos!

Combate: O combate foi coerente em termos de história, mas novamente fraco para um Main Event. Lesnar não consegue emplacar bons combates. Dessa vez não foi nem muito por culpa dele mesmo ele tendo feito o de sempre e não inovado em absolutamente nada, ao contrário do Roman que aplicou até mesmo um Suicide Dive, o que é mais uma prova de que ele deve saber muito mais movimentos que a WWE o limita de usar por ele ser o Top Guy. Não é novidade nenhuma isso, já que faziam isso com John Cena também. É aquele tipo de Gif que você mostra pro amigão do coração para provar que Roman não é tão ruim em ringue como ele pensa. Desfrutem disso, romanzetes! O problema maior do combate foi o tempo bastante apertado para se poder fazer algo realmente relevante. Então partiram direto pro final, logo no início do combate. Três Superman Punchs e três Spears foram o suficiente pro Roman levar o título para casa, contando com uma leve distração do Brock Lesnar com o Braun durante todo o combate. Apesar da coerência ao mostrar que Lesnar só perdeu por conta da distração com o Braun, mantendo essa mesma linha histórica num combate melhor elaborado e com mais tempo poderia render algo muito melhor do que foi.




Então galera, esse foi o HOW Star Ratings de hoje. Deixem suas opiniões e avaliações nos comentários, não deixem de interagir e de compartilhar essa análise com seus amigos. Nos vemos no próximo HOW Star Ratings!

Sobre / Contato / Publicidade / Disclaimer / Política de Privacidade / Press Release

online / Design por: Ericki Chites