Face to Face #9: "The Fiend vs. The Undertaker"

Olá, senhoras e senhores, tudo certo com vocês? Espero que sim, pois é com grande entusiasmo que trago a vocês o retorno de uma das maiores colunas da história do House of Wrestling: Face to Face.

Aqui serão colocadas em pauta comparações de personagens, eventos e empresas do mundo do entretenimento esportivo, em especial as que possuem alguma semelhança (nem sempre isso será possível). Para esta primeira edição, a de retorno, gostaria de colocar "The Fiend" Bray Wyatt frente a frente com The Undertaker. Para saber mais, só me siga...

Muitos acreditam que o pro-wrestling para ser considerado um bom produto é necessário somente uma imensa habilidade dentro do ringue e mais nada. Muitos chegam a achar que esta característica deve ser a principal de todas na hora de se analisar o produto oferecido por uma promotora de eventos deste tipo. Em minha modesta e talvez falha opinião não funciona bem desta forma.

Creio que quando estamos dispostos a assistir uma luta ensaiada com resultados pré-determinados por roteiros, algo de diferente de um confronto corporal real tem de nos prender a atenção. Acredito que dois fatores são necessários para isso: Um bom personagem e uma boa história.

Mesmo estando muito longe de atravessar a sua melhor fase nestes aspectos atualmente, a WWE ainda segue firme na tentativa de prender o seu público e de certa forma, vem tentando ainda que muitas das vezes de maneiras falhas incrementar suas histórias e personagens. Visualizando por este sentido, sinto que o mais privilegiado no momento seja Bray Wyatt, com o seu personagem demoníaco e obscuro. Por isso, resolvi lhe colocar como o comparativo de The Undertaker nesta edição de retorno do Face to Face. Vamos lá.

"The Fiend" Bray Wyatt
Já que estamos falando do "Fiend" começaremos o nosso debate democrático por ele. Começando pela questão de reconhecimento e títulos ainda é muito cedo e covarde da minha parte querer grandes resultados, levando em conta que o personagem é muito recente. De expressivo até agora temos uma vitória sobre Finn Bálor, no SummerSlam. Vocês podem estar se perguntando sobre o antigo Bray Wyatt e suas conquistas, porém, creio que não se aplica neste momento, uma vez que o lutador vive uma nova fase de sua carreira, diferente de tudo o que foi visto até hoje.

Acredito que na hora de se avaliar um novo personagem, como é o caso de "The Fiend", é necessário julgar suas habilidades com o microfone e em ringue, algo que pelo menos no primeiro quesito é algo praticamente perfeito. Por isso, no começo da coluna, disse que a habilidade em ringue apesar de importante, não deve ser o fator chave para determinar se um lutador é bom ou ruim. Tudo dependerá da situação.

Bray Wyatt desde que começou a ter destaque na WWE sempre se demonstrou um monstro de habilidades no microfone, muitas das vezes criando seus próprios personagens, sem precisar da deficitária equipe criativa da empresa. Isso sem dúvida lhe torna muito credível, uma vez que pode sozinho carregar uma rivalidade e apesar de não ter muita habilidade no ringue, prender a atenção dos fãs a todo o momento. Claro que o "booking" da empresa é muito importante, porém, não acredito que seja capaz de destruir um ótimo personagem como esse, num eventual erro de produção.

Quando comparo Bray a The Undertaker é somente pelo seu lado sombrio, pois creio que ambos sejam completamente diferentes, ainda que lidem com o lado do sobrenatural, algo que antes era muito usado e nos dias atuais, talvez pela mudança dos fãs da WWE e dos tempos, não venha sendo utilizado com frequência.

No frigir dos ovos creio que o personagem de Bray Wyatt ainda tem muita lenha pra queimar e se a equipe criativa da WWE souber trabalhar corretamente, diferentemente do fiasco do Hell in a Cell, tem tudo para ser um dos maiores da história.

The Undertaker
Indo agora talvez para o maior de todos os tempos, no segmento, The Undertaker está de fato com o seu personagem em baixa na WWE, mesmo tendo vencido seus últimos dois confrontos na WWE, um frente a Goldberg, na Arábia Saudita, e outro ao lado de Roman Reigns, no Extreme Rules. Obviamente não é o lutador de agora que será avaliado, até porquê seria injusto avaliar Wyatt em sua melhor fase e o "Deadman" em seu fim de carreira.

Apesar do fim da "streak", algo que particularmente acho um erro, pois era a sua principal marca e o que diferenciava a WrestleMania de qualquer evento do mundo, no entretenimento esportivo, creio que The Undertaker esteja alguns degraus acima de Wyatt, pelo menos no momento. Além de um personagem impecável em seu segmento obscuro como o The Fiend, Undertaker possui uma grande habilidade no ringue (digo isso em sua melhor fase).

Disse anteriormente que o fator ringue não é o principal e de fato não é, mas, quando estamos comparando dois monstros sagrados das "mic-skills", este fator vem como critério de desempate. Não levarei títulos em considerações e nem a sua história na WWE, pois seria injusto com o novo personagem de Wyatt. Mesmo assim, destaco a supremacia do "Deadman".

Torço muito para que The Undertaker tenha uma luta de despedida dentro da WWE, ainda. Deve ser numa WrestleMania e nada mais justo que seja um oponente a sua escolha, afinal ele já enfrentou várias buchas enviadas pela equipe criativa da empresa, creio eu por talvez valer muito a pena na questão financeira.

Ao contrário do que muitos fãs querem, eu deixaria o lutador de fora desta edição do Crown Jewel, que acontecerá dentro de três semanas e lhe resguardaria para a próxima WrestleMania, num combate oficial de despedida, que honre esta carreira maravilhosa no entretenimento esportivo.
______________________________________________________________________________
Resultado:
The Undertaker derrotou The Fiend
______________________________________________________________________________
Bom, por hoje é isso pessoal. Espero que tenham gostado desta edição de retorno do Face to Face. Tentarei trazer uma edição por semana, mas não prometo nada, pois a vida é bastante corrida (xD). Comentem, debatam, pois o espaço é de vocês. Grande abraço e até mais.

"That's All, Folks"
Olá, senhoras e senhores, tudo certo com vocês? Espero que sim, pois é com grande entusiasmo que trago a vocês o retorno de uma das maiores colunas da história do House of Wrestling: Face to Face.

Aqui serão colocadas em pauta comparações de personagens, eventos e empresas do mundo do entretenimento esportivo, em especial as que possuem alguma semelhança (nem sempre isso será possível). Para esta primeira edição, a de retorno, gostaria de colocar "The Fiend" Bray Wyatt frente a frente com The Undertaker. Para saber mais, só me siga...

Muitos acreditam que o pro-wrestling para ser considerado um bom produto é necessário somente uma imensa habilidade dentro do ringue e mais nada. Muitos chegam a achar que esta característica deve ser a principal de todas na hora de se analisar o produto oferecido por uma promotora de eventos deste tipo. Em minha modesta e talvez falha opinião não funciona bem desta forma.

Creio que quando estamos dispostos a assistir uma luta ensaiada com resultados pré-determinados por roteiros, algo de diferente de um confronto corporal real tem de nos prender a atenção. Acredito que dois fatores são necessários para isso: Um bom personagem e uma boa história.

Mesmo estando muito longe de atravessar a sua melhor fase nestes aspectos atualmente, a WWE ainda segue firme na tentativa de prender o seu público e de certa forma, vem tentando ainda que muitas das vezes de maneiras falhas incrementar suas histórias e personagens. Visualizando por este sentido, sinto que o mais privilegiado no momento seja Bray Wyatt, com o seu personagem demoníaco e obscuro. Por isso, resolvi lhe colocar como o comparativo de The Undertaker nesta edição de retorno do Face to Face. Vamos lá.

"The Fiend" Bray Wyatt
Já que estamos falando do "Fiend" começaremos o nosso debate democrático por ele. Começando pela questão de reconhecimento e títulos ainda é muito cedo e covarde da minha parte querer grandes resultados, levando em conta que o personagem é muito recente. De expressivo até agora temos uma vitória sobre Finn Bálor, no SummerSlam. Vocês podem estar se perguntando sobre o antigo Bray Wyatt e suas conquistas, porém, creio que não se aplica neste momento, uma vez que o lutador vive uma nova fase de sua carreira, diferente de tudo o que foi visto até hoje.

Acredito que na hora de se avaliar um novo personagem, como é o caso de "The Fiend", é necessário julgar suas habilidades com o microfone e em ringue, algo que pelo menos no primeiro quesito é algo praticamente perfeito. Por isso, no começo da coluna, disse que a habilidade em ringue apesar de importante, não deve ser o fator chave para determinar se um lutador é bom ou ruim. Tudo dependerá da situação.

Bray Wyatt desde que começou a ter destaque na WWE sempre se demonstrou um monstro de habilidades no microfone, muitas das vezes criando seus próprios personagens, sem precisar da deficitária equipe criativa da empresa. Isso sem dúvida lhe torna muito credível, uma vez que pode sozinho carregar uma rivalidade e apesar de não ter muita habilidade no ringue, prender a atenção dos fãs a todo o momento. Claro que o "booking" da empresa é muito importante, porém, não acredito que seja capaz de destruir um ótimo personagem como esse, num eventual erro de produção.

Quando comparo Bray a The Undertaker é somente pelo seu lado sombrio, pois creio que ambos sejam completamente diferentes, ainda que lidem com o lado do sobrenatural, algo que antes era muito usado e nos dias atuais, talvez pela mudança dos fãs da WWE e dos tempos, não venha sendo utilizado com frequência.

No frigir dos ovos creio que o personagem de Bray Wyatt ainda tem muita lenha pra queimar e se a equipe criativa da WWE souber trabalhar corretamente, diferentemente do fiasco do Hell in a Cell, tem tudo para ser um dos maiores da história.

The Undertaker
Indo agora talvez para o maior de todos os tempos, no segmento, The Undertaker está de fato com o seu personagem em baixa na WWE, mesmo tendo vencido seus últimos dois confrontos na WWE, um frente a Goldberg, na Arábia Saudita, e outro ao lado de Roman Reigns, no Extreme Rules. Obviamente não é o lutador de agora que será avaliado, até porquê seria injusto avaliar Wyatt em sua melhor fase e o "Deadman" em seu fim de carreira.

Apesar do fim da "streak", algo que particularmente acho um erro, pois era a sua principal marca e o que diferenciava a WrestleMania de qualquer evento do mundo, no entretenimento esportivo, creio que The Undertaker esteja alguns degraus acima de Wyatt, pelo menos no momento. Além de um personagem impecável em seu segmento obscuro como o The Fiend, Undertaker possui uma grande habilidade no ringue (digo isso em sua melhor fase).

Disse anteriormente que o fator ringue não é o principal e de fato não é, mas, quando estamos comparando dois monstros sagrados das "mic-skills", este fator vem como critério de desempate. Não levarei títulos em considerações e nem a sua história na WWE, pois seria injusto com o novo personagem de Wyatt. Mesmo assim, destaco a supremacia do "Deadman".

Torço muito para que The Undertaker tenha uma luta de despedida dentro da WWE, ainda. Deve ser numa WrestleMania e nada mais justo que seja um oponente a sua escolha, afinal ele já enfrentou várias buchas enviadas pela equipe criativa da empresa, creio eu por talvez valer muito a pena na questão financeira.

Ao contrário do que muitos fãs querem, eu deixaria o lutador de fora desta edição do Crown Jewel, que acontecerá dentro de três semanas e lhe resguardaria para a próxima WrestleMania, num combate oficial de despedida, que honre esta carreira maravilhosa no entretenimento esportivo.
______________________________________________________________________________
Resultado:
The Undertaker derrotou The Fiend
______________________________________________________________________________
Bom, por hoje é isso pessoal. Espero que tenham gostado desta edição de retorno do Face to Face. Tentarei trazer uma edição por semana, mas não prometo nada, pois a vida é bastante corrida (xD). Comentem, debatam, pois o espaço é de vocês. Grande abraço e até mais.

"That's All, Folks"

Sobre / Contato / Anuncie/Advertise / Disclaimer / Política de Privacidade / Press Release

online / Design por: Ericki Chites